Meteorologia

  • 22 MAIO 2018
Tempo
14º
MIN 14º MÁX 14º

Edição

Operação Fizz: MP substitui procurador José Góis por Leonor Machado

O julgamento da Operação Fizz, que tem início hoje, terá afinal um novo procurador.

Operação Fizz: MP substitui procurador José Góis por Leonor Machado
Notícias ao Minuto

09:04 - 22/01/18 por Andrea Pinto

País Justiça

O julgamento da Operação Fizz, que tem como arguidos o ex-vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente, o ex-procurador Orlando Figueira, o advogado Paulo Blanco e o empresário Armindo Pires começa hoje no tribunal da comarca de Lisboa.

O início do julgamento no Juízo Central Criminal, no Campus da Justiça, está marcado para as 9h30, e terá, segundo a RTP 3, um novo procurador. Isto porque o Ministério Público decidiu substituir José Góis por Leonor Machado.

Manuel Vicente, que à data dos factos era presidente da Sonangol é acusado de ter corrompido Orlando Figueira para que o então procurador do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) arquivasse dois inquéritos, um deles o caso Portmill, relacionado com a aquisição de um imóvel de luxo no Estoril.

Manuel Vicente está acusado por corrupção ativa em coautoria com os arguidos Paulo Blanco e Armindo Pires, branqueamento de capitais em coautoria com Paulo Blanco, Armindo Pires e Orlando Figueira e falsificação de documento com os mesmos arguidos.

"Engenheiro Manuel Vicente não comparece porque não pode"

Entretanto, Rui Patrício, advogado de Manuel Vicente e Armindo Pires, fez algumas declarações ao jornalistas, esta segunda-feira, pouco antes do início do julgamento. O causídico desmente que o ex-vice-Presidente de Angola queira fugir ao processo.

"O engenheiro Manuel Vicente não comparece porque não pode. Seja a imunidade de direito internacional, seja a imunidade da constituição angolana, não estão na disponibilidade e na vontade do doutor Manuel Vicente, são assuntos de Estado", afirmou Rui Patrício.

O advogado prosseguiu dizendo que, por isso, o seu cliente "não pode" estar presente. "Isso é muito importante que fique claro. A imunidade não é vontade do próprio, não é privilégio do próprio, não é prerrogativa do próprio, é um assunto de Estado. Naturalmente, não pode prescindir", sublinhou.

Questionado sobre se Manuel Vicente estaria a fugir à justiça, o causídico foi perentório: "Não está a fugir à justiça, nunca fugiu".

Já o procurador Orlando Figueira, que chegou pouco depois ao Campus de Justiça, voltou a afirmar a sua inocência e diz que prestará declarações mais tarde. Orlando Figueira é acusado de corrupção passiva, branqueamento de capitais e violação de segredo de justiça.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.