Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2021
Tempo
18º
MIN 9º MÁX 18º

Edição

Censos2021: Perda de quase 12 mil habitantes no Baixo Alentejo

O Baixo Alentejo perdeu quase 12 mil habitantes nos últimos 10 anos, com Barrancos a encabeçar esta descida, em termos percentuais, sendo mesmo o município nacional com maior quebra, segundo os resultados preliminares dos Censos 2021.

Censos2021: Perda de quase 12 mil habitantes no Baixo Alentejo

Na análise da agência Lusa aos dados preliminares dos Censos 2021, divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), verifica-se que a sub-região do Baixo Alentejo tinha este ano 114.887 habitantes (58.628 mulheres e 56.259 homens).

Face aos anteriores Censos de 2011, quando a Unidade Territorial para Fins Estatísticos (NUT) de nível III do Baixo Alentejo tinha 126.692 residentes, é possível constatar que há menos 11.805 indivíduos, o que traduz uma descida populacional de 9,3%.

Nesta NUT III, que para fins estatísticos apenas integra 13 dos 14 concelhos do distrito de Beja -- fica de fora Odemira, que pertence à NUT III do Alentejo Litoral -, todos os municípios perderam habitantes.

O de Barrancos, o concelho menos populoso do distrito (tem agora 1.435 moradores, face aos 1.834 de 2011), é aquele que regista a maior perda populacional em termos relativos (-21,8%), não só do Baixo Alentejo, mas de todo o país.

A seguir, surgem os concelhos de Mértola (-14,7%), Vidigueira (-12,7%), Moura (-12,5%) e Serpa (-11,9%), enquanto do lado dos municípios com perdas menos expressivas estão Aljustrel (-4,1%), Castro Verde (-5,5%), Beja (-6,8%) ou Ferreira do Alentejo (-7,0%).

Apesar de ser um dos concelhos com menor perda populacional em percentagem no distrito, Beja é a segunda capital de distrito do país com maior quebra (Portalegre lidera essa lista, com 10,3%).

Já em termos absolutos, esta capital de distrito alentejana passou de 35.854 para 33.401 habitantes, em 10 anos, pelo que perdeu 2.453 pessoas.

O concelho mais populoso do Baixo Alentejo é Beja, surgindo depois Serpa (13.768) e Moura (13.267), sendo que, no espetro oposto, além de Barrancos, estão Alvito (2.276), Cuba (4.374) ou Ourique (4.842).

Em Portugal, nos últimos 10 anos, o Alentejo foi a NUT de nível II com a quebra mais expressiva de população (-6,9%), de acordo com os resultados preliminares dos Censos 2021.

Esta descida diz respeito aos 47 concelhos alentejanos e aos 11 da Lezíria do Tejo -- que são contabilizados na NUT II do Alentejo para efeitos estatísticos -, onde residem agora 704.934 pessoas, em termos absolutos.

Em relação só aos 47 concelhos alentejanos e excluindo a Lezíria do Tejo, a quebra populacional na região é ainda mais elevada, com menos 8,1% de habitantes, sendo o território habitado por 468.802 indivíduos, em 2021.

Portugal tem hoje 10.347.892 residentes, menos 214.286 do que em 2011, segundos os resultados preliminares dos Censos 2021.

A fase de recolha dos Censos 2021 decorreu entre 05 de abril e 31 de maio e os dados referem-se à data do momento censitário, dia 19 de abril.

Leia Também: Censos2021: Distrito de Coimbra perde 5% da população em dez anos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório