Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2019
Tempo
21º
MIN 20º MÁX 21º

Edição

Queima do Porto: Imagens de cariz sexual levam Federação Académica a agir

Uma das mais famosas festas académicas do país está envolta em polémica. Depois do protesto inesperado houve a suspeita de uma agressão sexual e, agora, foram também divulgados vídeos de cariz sexual.

Queima do Porto: Imagens de cariz sexual levam Federação Académica a agir

A edição deste ano da Queima das Fitas do Porto arrancou no sábado e, em apenas cinco dias, já se somam as polémicas relacionadas com o evento.

A mais recente diz respeito à divulgação nas redes sociais de vídeos gravados no interior do queimódromo e nos quais se vê os jovens a simular atos sexuais para, em troca, terem direito a bebidas alcoólicas grátis.

Face ao número significativo de vídeos que começaram a circular na internet, a Federação Académica do Porto (FAP) decidiu emitir um comunicado a condenar tais atitudes por parte dos estudantes e dos responsáveis pelas barracas que se encontram no interior do queimódromo.

“A Federação Académica do Porto é completamente contra qualquer tipo de violência sexual, violência de género e violência física, ou de qualquer outra ordem”, razão pela qual “tem apelado consecutivamente ao respeito da integridade física, mental e moral de qualquer um que se encontre a usufruir do que lhe é proporcionado na Queima das Fitas do Porto”.

Assim, e por considerar que as imagens de jovens alcoolizados a protagonizar cenas de cariz sexual são “comportamentos indevidos” que “atentam em muitas das vezes contra o respeito pelos valores humanos”, a FAP decidiu intervir, até porque os vídeos em causa estavam a ser, também, partilhados por quem explora as barracas da festa.

“[A FAP] achou necessário proibir que tais situações continuassem a acontecer” e, “assim sendo, todas as barraquinhas que [divulgarem tais imagens] serão devidamente sancionadas – visto que a recomendação prevista no regulamento das barraquinhas sobre o uso de imagens/escrita sexista, e/ou que promova o discurso de ódio ou incentivo a qualquer tipo de violência, não foi cumprida”.

“Não é aceitável que tais comportamentos sejam apoiados e permitidos ou sequer tolerados. Tais comportamentos, que atentem contra a dignidade dos estudantes, seja em que termos forem, não contarão com a cumplicidade da FAP, nem da esmagadora maioria dos estudantes da Academia, sendo que qualquer atitude desta natureza terá tolerância zero”, termina a nota divulgada.

Recorde-se que, durante o cortejo da Queima das Fitas, que teve lugar na terça-feira, um grupo de estudantes criticou a falta de residências universitárias na cidade, um protesto que apanhou a FAP de surpresa e levou o presidente da Câmara Municipal do Porto e o reitor da Universidade do Porto a abandonarem a tribuna colocada na Avenida dos Aliados para a passagem do cortejo.

Depois, na quarta-feira, uma jovem, com cerca de 20 anos, foi encontrada inconsciente e semi-nua nas imediações do Queimódromo do Porto, o que despertou a desconfiança de que se poderia tratar de um crime sexual.

No entanto, o Público escreve que os exames médicos e o depoimento da jovem não revelaram a existência de qualquer agressão, apenas um nível muito elevado de embriaguez.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório