Meteorologia

  • 22 MAIO 2019
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 21º

Edição

Bruno de Carvalho e Mustafá detidos. Mas ainda não conhecem a sua 'sorte'

A família leonina foi, no final da tarde de domingo, alvo de todas as atenções e não foi por causa da partida com o Desportivo de Chaves em Alvalade que os leões venceram por duas bolas a uma. Bruno de Carvalho e Mustafá foram detidos e estão agora à espera de serem presentes a um juiz de instrução criminal do Tribunal do Barreiro para lhes serem aplicadas as medidas de coação tidas por adequadas. Segundo a SIC Notícias, o interrogatório só terá lugar amanhã.

Bruno de Carvalho e Mustafá detidos. Mas ainda não conhecem a sua 'sorte'

Mais uma vez, as agressões levadas a cabo na Academia de Alcochete, em maio passado, voltaram para assombrar os sportinguistas, desejosos de esquecer aquela que é considerada a fase mais negra da história do clube.

Desta feita, o ex-presidente Bruno de Carvalho e o líder da claque Juventude Leonina, Nuno Mendes (mais conhecido por Mustafá) foram detidos pela GNR no âmbito do inquérito que diz respeito às agressões aos jogadores e equipa técnica do Sporting em Alcochete.

E tudo aconteceu pouco tempo antes do início da partida em Alvalade, o que, aliás, motivou também a intervenção da Polícia de Segurança Pública que teve de criar um perímetro de segurança em torno de ‘A Casinha’, como é conhecida a sede da Juventude Leonina localizada no Estádio de Alvalade.

Notícias ao MinutoPSP criou perímetro de segurança na rua enquanto GNR levava a cabo buscas na sede da JuveLeo© Global Imagens

Cerca de três horas após o início das diligências n’A Casinha, os militares da Guarda abandonaram o local na companhia de Mustafá, que seguiu com eles para novas buscas, desta feita à sua casa. Na rua, vários elementos da claque apoiavam o seu líder. No estádio, nem sinal da Juventude Leonina.

Sensivelmente ao mesmo tempo, os militares da GNR dirigiam-se à casa de Bruno de Carvalho na Quinta do Lambert, no Lumiar, perto do estádio.

Das buscas realizadas na habitação do ex-presidente do Sporting resultou a apreensão de um computador (da filha), de um tablet e telemóveis, pertencentes a Bruno de Carvalho que seguiu com os militares para o posto de Alcochete.

Tanto Mustafá como Bruno de Carvalho passaram a noite detidos à espera de serem presentes a um juiz de instrução criminal do Tribunal do Barreiro para lhes serem aplicadas as medidas de coação tidas por adequadas. Segundo a SIC Notícias, o interrogatório só terá lugar na terça-feira.

As detenções foram confirmadas já no decorrer da noite pela própria Procuradoria-Geral da República: “Ao abrigo do disposto no art.º 86.º, n.º 13, al. b), do Código de Processo Penal, confirma-se que foram efetuadas duas detenções no âmbito do inquérito relacionado com as agressões na Academia do SCP em Alcochete". 

Feitas as contas, o inquérito que investiga o que aconteceu na Academia de Alcochete conta com 40 arguidos, estando 38 a aguardar julgamento em prisão preventiva – resta esperar pela decisão de hoje do juiz de instrução criminal quanto a Bruno de Carvalho e Mustafá.

Um "tratamento degradante" ao ex-presidente do Sporting, diz advogado

Bruno de Carvalho foi sujeito a um “tratamento degradante”. Foi desta forma que José Preto, advogado do ex-presidente do Sporting, descreveu a atuação das autoridades no decorrer do dia de ontem, desde a decisão de deter o seu cliente até à forma como foram levadas a cabo as diligências.

“A lei, permite, portanto, estes abusos extraordinários de pretensas diligências que são, objetivamente, atuações infamantes, aviltantes e vexatórias”, afirmou o advogado, lembrando que ainda há duas semanas esteve, juntamente com Bruno de Carvalho, no DIAP, “dizendo precisamente: ‘aqui estou eu, se precisarem de mim, estou à disposição’”.

Do cenário desportivo também foram vários os nomes ligados ao clube que comentaram o sucedido.

Em declarações ao Desporto ao Minuto, o antigo presidente da SAD do Sporting, Sousa Cintra, lembrou que "não é a primeira vez que isto acontece em Portugal", reportando-se a outros casos que ocorreram no futebol português [casos de Vale e Azevedo e Pinto da Costa]. Parco em palavras e, mais ainda em críticas, Sousa Cintra limitou-se a dizer que acredita na justiça, confessando-se incapaz de dizer se Bruno de Carvalho é culpado ou inocente.

Também em declarações ao Desporto ao Minuto, Dias Ferreira disse não ter ficado surpreendido com os acontecimentos de ontem e sublinhou que, pese embora, do “ponto de vista criminal” Bruno de Carvalho esteja inocente, a verdade é que “não está alheio ao que aconteceu”. “Está ligado direta ou indiretamente aos acontecimentos de Alcochete”, vaticinou o presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting na era Bruno de Carvalho e candidato derrotado nas últimas eleições.

Já Soares Franco, presidente do Sporting entre 2006 e 2009, foi claro quanto à necessidade de ‘separar as águas’. “Se essas atitudes e os comportamentos realizados por Bruno de Carvalho foram ilícitos então ele tem de ser punido por isso, não o Sporting. O Sporting não tem de pagar pelas repercussões que outros semearam", frisou em declarações ao Desporto ao Minuto.

Quem também reagiu às detenções de Bruno de Carvalho e de Mustafá foi o grupo responsável pela candidatura do agora ex-presidente do clube, Leais ao Sporting. Numa nota emitida na sua página de Facebook, o grupo estranhou o “timing” das detenções, mas garantiu que “quem conhece Bruno de Carvalho acredita na sua inocência”.

15 de maio: O dia da aparição negra em Alcochete

Quando, daqui a muitos anos, se falar na história do Sporting Clube de Portugal não haverá como não referir os acontecimentos de 15 de maio de 2018.

O plantel e a equipa técnica encontravam-se na Academia do clube, em Alcochete, quando um grupo constituído por cerca de 40 pessoas encapuzadas entrou nas instalações leoninas e agrediu jogadores, treinadores e staff. Recorde-se que nem Bas Dost nem Jorge Jesus escaparam à fúria dos meliantes que invadiram a Academia.

No dia dos acontecimentos, a GNR deteve 23 pessoas. Em diligências posteriores deteve outros 15 suspeitos, aumentando a soma para 38 – estão todos em prisão preventiva. Recorde-se que o antigo líder da claque, Fernando Mendes, encontra-se entre o lote de detidos.

Todos os arguidos são suspeitos da prática de vários crimes, designadamente de terrorismo, ofensa à integridade física qualificada, ameaça agravada, sequestro e dano com violência.

Quanto a Bruno de Carvalho, recorde-se, era o presidente do clube aquando do ataque em Alcochete, episódio que levou à sua destituição em sede de Assembleia-Geral do Sporting. Impedido de se recandidatar à liderança do clube, Bruno de Carvalho ficou em casa a ver os resultados do sufrágio que culminou na eleição de Frederico Varandas para a presidência dos leões.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório