Meteorologia

  • 16 JULHO 2018
Tempo
25º
MIN 22º MÁX 27º

Edição

Cerco policial a caravana em Ovar terminou. Suspeito detido

A polícia lançou gás lacrimogéneo de modo a por fim à situação. O suspeito, de 28 anos, é português e, segundo a mãe, sofre de problemas de saúde mental.

Cerco policial a caravana em Ovar terminou. Suspeito detido
Notícias ao Minuto

13:06 - 13/07/18 por Tiago Miguel Simões e Andrea Pinto

País Ovar

A PSP conseguiu deter o jovem que esteve barricado durante várias horas, esta sexta-feira, numa autocaravana, após ter agredido uma mulher junto a um centro comercial de Ovar, e de se ter posto em fuga. Pelo caminho abalroou dois carros da PSP e feriu um polícia, embora sem gravidade.

A PSP já oficializou a detenção do homem de 28 anos que é português mas não de Ovar.

“Está neste momento detido o suspeito. Há-de ser levado a tribunal. Está bem, não ficou ferido”, começou por garantir o comissário da PSP, em declarações aos jornalistas no local, e garantindo ainda que as duas vítimas - namorada e agente da PSP - "já tiveram alta". 

A polícia confirmou ainda que o homem de 28 anos estava sozinho no interior da caravana na posse de duas armas brancas. De momento, segundo informações oficiais da polícia, o suspeito encontra-se a ser assistido no local.

Notícias ao MinutoPolícia criou um perímetro de segurança no local© Global Imagens

Nesta operação estiveram envolvidas a PSP de Ovar, a Unidade Especial de Polícia e uma equipa de negociadores.

Mãe de jovem que se barricou já "rastejou" por detenção

A mãe do jovem, em declarações à TVI24, afirma que ainda não conseguiu entrar em contacto com o filho e mostra-se revoltada por ser "necessário cometer um crime" para que a polícia detenha o filho.

Segundo Ana, o filho tem problemas de saúde mental e deveria estar sob "tratamento compulsivo ambulatório". O filho já terá, aliás, estado envolvido com a justiça por diversas vezes, mas acaba sempre por ser libertado. Uma situação que revolta a mãe.

"Espero que, de uma vez por todas, o Estado não me obrigue novamente a ter que rastejar a delegados médicos, a pedir mandados de detenção. Há um mês, ele foi detido em Lisboa, presente ao DIAP [e libertado]. É preciso ele cometer um crime para ser detido", afirmou a mulher entre lágrimas, referindo que por diversas vezes, e para bem do filho e da sociedade, tentou que internassem o filho.

Notícias ao MinutoJovem barricou-se na caravana com duas armas brancas© Global Imagens

"A ajuda que pedi foi para ele ser internado, para ser encaminhado para uma comunidade terapêutica, mas nada foi feito", garantiu Ana, acrescentando que a mulher que acompanhava o filho, e que terá sido alvo de violência, "está a mentir". Tratar-se-á de uma mulher que ele conheceu durante o seu último internamento e que também padece de problemas "psiquiátricos".

Relativamente ao estado de saúde do filho, que as autoridades garantem não ter sido ferido, a mulher dúvida de que possa ser verdade. "Tenho motivos para não acreditar que ele não esteja ferido. A última vez que me disseram isso encontrei o meu filho espancado", disse, referindo que depois de ser surpreendida na televisão ao ver a matrícula da caravana do filho, tentou ligar para as autoridades para explicar a doença do filho, mas ninguém quis falar com ela. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.