Meteorologia

  • 21 AGOSTO 2018
Tempo
22º
MIN 21º MÁX 23º

Edição

Pedrógão Grande: Dezasseis arguidos confirmados

A Procuradoria da Comarca de Leiria anunciou hoje que aumentou para 16 o número de arguidos no inquérito que investiga os incêndios de junho de 2017 em Pedrógão Grande, norte do distrito de Leiria, que provocaram 66 mortos.

Pedrógão Grande: Dezasseis arguidos confirmados
Notícias ao Minuto

08:58 - 06/07/18 por Lusa

País Incêndios

"No âmbito do inquérito onde se investigam as circunstâncias que rodearam os incêndios de Pedrógão Grande, foram constituídos mais três arguidos. Assim, o processo tem, neste momento, 16 arguidos, todos pessoas singulares", refere a informação da Procuradoria hoje publicada no seu sítio na Internet.

A mesma nota reafirma que neste inquérito, dirigido pelo Ministério Público do Departamento de Investigação e Ação Penal de Leiria, "estão em causa factos suscetíveis de integrarem os crimes de homicídio por negligência e ofensas corporais por negligência".

A Procuradoria reitera que o inquérito, em segredo de justiça, "encontra-se em avançado estado de investigação, tendo já sido realizadas inúmeras diligências, sobretudo de caráter pericial, e ouvidas mais de duas centenas de testemunhas".

Nesta investigação, o Ministério Público é coadjuvado pela Polícia Judiciária.

Os incêndios que deflagraram na zona de Pedrógão Grande, norte do distrito de Leiria, em junho de 2017, provocaram 66 mortos: a contabilização oficial assinalou 64 vítimas mortais, mas houve ainda registo de uma mulher que morreu atropelada ao fugir das chamas e uma outra que estava internada desde então, em Coimbra, e que acabou também por morrer. Houve ainda mais de 250 feridos.

Em dezembro, foram constituídos arguidos o comandante dos bombeiros de Pedrógão Grande, Augusto Arnaut, e o segundo comandante distrital de Leiria, Mário Cerol.

Em 02 de maio, a Procuradoria-Geral Distrital de Coimbra (PGDC) informou que o número de arguidos naquela data eram seis.

"O inquérito relativo aos incêndios de Pedrógão Grande tem seis arguidos. Dois haviam sido constituídos em dezembro último [de 2017]. Os restantes quatro, três deles ligados à área de gestão de combustíveis e um às operações de comando de combate ao incêndio, foram constituídos e interrogados como arguidos nos últimos dias de abril", anunciou na ocasião.

No mesmo dia, num esclarecimento enviado à Lusa, a Ascendi Pinhal Interior informou ter "conhecimento de que dois dos seus colaboradores afetos a esta subconcessionária foram ouvidos em interrogatório e constituídos arguidos no âmbito da investigação" aos incêndios de Pedrógão Grande e concelhos limítrofes.

Posteriormente, em 11 de junho, foi anunciado que o número de arguidos tinha aumentado para dez e, ainda no mesmo mês, a 20 de junho, o número de arguidos subia para 13.

Então, o ex-presidente da Câmara de Castanheira de Pera Fernando Lopes e o presidente da Câmara de Figueiró dos Vinhos, Jorge Abreu, confirmaram à Lusa que foram constituídos arguidos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.