Meteorologia

  • 11 DEZEMBRO 2017
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 13º

Edição

Curdistão iraquiano pede que Bagdad cumpra Constituição de forma integral

O primeiro-ministro do Curdistão iraquiano, Nechirvan Barzani, pediu hoje que Bagdad aplique a Constituição de forma integral para permitir a realização de referendos nas regiões em disputa, após a anulação pelo Supremo Tribunal da consulta de independência curda.

Curdistão iraquiano pede que Bagdad cumpra Constituição de forma integral
Notícias ao Minuto

14:10 - 20/11/17 por Lusa

Mundo Conflito

"Estamos preparados para o diálogo com Bagdad no âmbito da Constituição e com a aplicação de todas as suas cláusulas, artigo por artigo", disse Barzani num discurso transmitido pelo canal televisivo curdo Rudaw.

Brazani fazia alusão ao artigo 140 da Lei fundamental, que prevê a realização de um referendo na província petrolífera de Kirkuk, e em outras regiões com maioria de população curda que dependem administrativamente de Bagdad, para que a população decida se pretende integrar-se na região autónoma do Curdistão.

O líder curdo também assegurou que o Governo regional decidiu celebrar o referendo de independência, que decorreu em 25 de setembro, pelo facto de as autoridades de Bagdad não terem aplicado totalmente os respetivos capítulos incluídos na Constituição.

Barzani criticou ainda o facto de o Supremo Tribunal do Iraque ter ignorado a opinião do Governo curdo antes de anunciar hoje a sua decisão, ao declarar "inconstitucional" o referendo e anular os seus resultados.

Em comunicado, o Governo curdo exortou à pressão da comunidade internacional sobre Bagdad para que sejam anuladas as medidas de represália adotadas em resposta à realização do referendo -- que registou uma ampla maioria favorável à independência --, em particular a proibição dos voos internacionais com origem ou destinados aos aeroportos curdos.

Bagdad também desencadeou uma campanha militar que forçou o exército curdo a retirar-se das zonas disputados onde se instalou em 2014 após a debandada do exército iraquiano, na sequência da ofensiva-relâmpago então desencadeada pelo grupo 'jihadista' Estado Islâmico.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório