Meteorologia

  • 23 AGOSTO 2017
Tempo
21º
MIN 19º MÁX 24º

Edição

Londres felicita Kenyatta pela sua reeleição como presidente do Quénia

Londres felicitou, no sábado, Uhuru Kenyatta pela sua reeleição como Presidente do Quénia, onde pelo menos 11 pessoas morreram após o anúncio do resultado eleitoral que a oposição contesta e qualifica de "farsa".

Londres felicita Kenyatta pela sua reeleição como presidente do Quénia
Notícias ao Minuto

06:24 - 13/08/17 por Lusa

Mundo Eleições

"Terça-feira foi um dia histórico para o Quénia, com milhões de quenianos a saírem para votar nas eleições gerais. O Reino Unido congratula calorosamente o Presidente Kenyatta pela reeleição", afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, citado num comunicado divulgado na noite de sábado.

Segundo uma contagem da agência de notícias France Presse, os confrontos entre manifestantes e polícia resultaram em pelo menos 11 mortos, nove nos bairros da lata de Nairobi e dois no oeste do país, perto de Kisumu e Siaya, desde a noite de sexta-feira.

A Comissão Nacional para os Direitos Humanos do Quénia (KNCHR, na sigla em inglês) referiu, no sábado, por seu turno, que pelo menos 24 pessoas, incluindo dois menores, morreram devido a tiros da polícia durante protestos em diferentes zonas do país.

Segundo a organização, do total, 17 morreram em subúrbios da capital, Nairobi, entre a polícia e apoiantes da oposição, que não aceita a vitória eleitoral do Presidente cessante, alegando a existência de fraude.

"Juntamo-nos ao povo queniano no luto por aqueles que morreram, apelando aos que têm influência para exercer contenção neste difícil momento a fim de garantir a calma, e na homenagem ao grande número dos que foram votar para decidir o seu futuro", sublinhou Boris Johnson.

A Comissão Eleitoral do Quénia confirmou na sexta-feira que o Presidente Uhuru Kenyatta é o vencedor das eleições de terça-feira, com 54,27% dos votos, enquanto o candidato da oposição Raila Odinga alcançou 44,74%.

A oposição já advertiu que não desistirá da proclamação de Odinga como vencedor das presidenciais, considerando que a repressão dos motins pela polícia constitui uma tentativa "de submeter" a oposição.

Na violência pós-eleitoral de 2007 no Quénia morreram pelo menos 1.100 pessoas e mais de 600 mil foram obrigadas a abandonar as suas casas.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório