Singapura alerta para elevado risco de atentados no sudeste da Ásia

O eventual regresso aos países de origem de combatentes do grupo extremista Estado Islâmico (EI) colocou o nível de alerta de atentado terrorista no sudeste asiático no mais elevado em anos, afirmou hoje o vice-primeiro-ministro de Singapura.

© Reuters
Mundo Segurança

No início do segundo dia de exercícios antiterroristas na cidade-estado, Teo Chee Hean considerou o agravamento da ameaça como uma consequência do avanço na luta contra o EI no Médio Oriente.

PUB

"Isto significa que os terroristas que foram [combater nas fileiras do EI] podem regressar a casa. É provável que isto aumente a ameaça na nossa região", advertiu, em declarações à Channel News Asia.

"Por isso, devemos levar a sério esta ameaça", frisou.

O EI, que declarou a sua intenção de criar um califado regional no sudeste asiático, dispõe no Médio Oriente da brigada Katibah Nusantara, formada por militantes da Malásia, Indonésia e Filipinas.

As autoridades acreditam que aproximadamente 500 indonésios e cerca de 130 malaios viajaram para o Médio Oriente para se juntarem ao EI e que uma centena de indonésios terá regressado ao seu país.

Em agosto, o coordenador de contraterrorismo do Departamento de Estado dos Estados Unidos, Justin Siberell, advertiu precisamente que o movimento Estado Islâmico estava a tentar expandir-se para o sudeste da Ásia através de alianças com extremistas da região.

 

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS