Meteorologia

  • 24 JULHO 2024
Tempo
23º
MIN 20º MÁX 38º

Preocupação europeia com comércio entre China e Rússia é "infundada"

Um jornal oficial do Partido Comunista Chinês considerou hoje infundada a preocupação da Europa com os laços comerciais com a Rússia, à medida que Pequim se afirma como o principal parceiro económico de Moscovo.

Preocupação europeia com comércio entre China e Rússia é "infundada"
Notícias ao Minuto

07:08 - 24/06/24 por Lusa

Mundo China

"A noção de que o envolvimento com a Rússia equivale a apoiar ações militares é fundamentalmente errada e distorcida", afirmou, em editorial, o Global Times, jornal de língua inglesa do grupo do Diário do Povo, o órgão central do Partido Comunista Chinês.

"A China não é nem criadora nem parte na crise ucraniana, pelo que é totalmente insustentável e irrazoável encarar as questões comerciais entre China e União Europeia no contexto" da guerra, frisou.

O editorial do Global Times surge após o vice-chanceler e ministro da Economia da Alemanha, Robert Habeck, ter afirmado, em Pequim, que o apoio da China à Rússia é a principal razão para a deterioração das relações económicas entre Berlim e Pequim.

"É também importante que a China, que apoia a Rússia nesta guerra, compreenda que os interesses de segurança alemães e europeus já são diretamente afetados por este conflito", disse Habeck, na abertura de um diálogo de alto nível China-Alemanha sobre alterações climáticas e transição verde.

A China afirma ser neutra no conflito, mas nunca condenou a invasão da Ucrânia pela Rússia e recebeu várias vezes o Presidente russo, Vladimir Putin, no seu território, desde o início da guerra.

Pequim apela regularmente ao respeito pela integridade territorial de todos os países, o que implicitamente diz respeito à Ucrânia, mas também apela à consideração das preocupações de segurança da Rússia.

O Global Times frisou que as relações da China com a Rússia e com a Europa "são parcerias de cooperação normais que se desenvolvem independentemente uma da outra".

"É absolutamente absurdo sugerir que as relações económicas entre a China e a Europa não podem ser estreitas se as relações entre a China e a Rússia forem fortes", frisou o jornal.

"O desenvolvimento das relações económicas e comerciais entre a China e a Rússia é essencialmente um caso de cooperação normal entre dois Estados soberanos com base em interesses comuns e benefícios mútuos", acrescentou o diário.

Argumentando que Pequim "não fornece armas às partes em conflito" e "controla rigorosamente as exportações de produtos de dupla utilização", o jornal lembrou que a China "tem mantido a cooperação com a Ucrânia" e que continua a ser o maior parceiro comercial de Kiev.

"Se as parcerias económicas e comerciais de uma nação são indicativas da sua posição em relação a questões globais, por que razão o Ocidente examina os laços económicos da China com a Rússia e ignora as suas relações económicas com a Ucrânia", questionou o Global Times.

Leia Também: Chuvas torrenciais provocaram pelo menos sete mortos na China

Recomendados para si

;
Campo obrigatório