Meteorologia

  • 22 JUNHO 2024
Tempo
14º
MIN 14º MÁX 27º

SPD afasta cenário de eleições legislativas antecipadas após derrota

O Partido Social-Democrata alemão (SPD) excluiu a possibilidade de antecipação de eleições legislativas, após a derrota nas eleições europeias de domingo, nas quais o principal partido do atual Governo foi relegado para o terceiro lugar.

SPD afasta cenário de eleições legislativas antecipadas após derrota
Notícias ao Minuto

11:33 - 10/06/24 por Lusa

Mundo Europeias/Alemanha

O SPD, em cuja campanha o chanceler Olaf Scholz esteve pessoalmente envolvido, somou 13,9%, o seu pior resultado de sempre numa eleição nacional e longe dos 30% alcançados pelo bloco conservador liderado pela CDU no domingo. O partido da extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD) ficou no segundo posto, com 15,90%.

As eleições antecipadas, pedidas pela extrema-direita e pelos principais conservadores, não foram consideradas "em momento algum, nem por um segundo", disse Steffen Hebestreit, o porta-voz do chanceler Olaf Scholz.

Pedidas pela extrema-direita e pelos principais conservadores, as eleições antecipadas não foram consideradas "em momento algum, nem por um segundo", acrescentou Hebestreit, apesar de um resultado "insatisfatório" para os três partidos da coligação governamental composta pelos sociais-democratas da Chancelaria, os Verdes e os Liberais.

Os Verdes perderem quase metade dos votos, para 11,9%, e os Liberais a ficaram com 5,2% dos votos, de acordo com a contagem final.

"Os números não mentem e o Governo federal tem de fazer muito melhor", disse Achim Post, vice-líder do grupo parlamentar do SPD, à emissora pública WDR5. "Não estamos nada satisfeitos e temos de garantir que voltamos ao topo", afirmou, rejeitando qualquer paralelo com a França.

Post excluiu que a liderança de Scholz esteja em causa, colocando-o mesmo como candidato novamente nas próximas eleições gerais na Alemanha, previstas para 2025.

A taxa de participação nas eleições europeias na Alemanha foi de 64,8%, um número sem precedentes desde a reunificação.

O líder da União Democrata-Cristã (CDU), Friedrich Merz, sublinhou domingo estar "orgulhoso" e "grato" com as projeções que davam aos conservadores a vitória.

"Em conjunto com Ursula von der Leyen, a CDU e a CSU (partido irmão da CDU na Baviera) ganharam as eleições europeias na Alemanha de forma clara", afirmou.

"O resultado das eleições deixa-me muito orgulhoso e muito grato", frisou, entre aplausos, acrescentando que estes resultados, que mostram uma queda dos três partidos que formam a coligação "semáforo" que governa o país, devem servir de lição para o futuro.

"Isto foi um desastre para os partidos da coligação, o Partido Social-Democrata (SPD), os Verdes, e os Liberais do FDP. Devem agora pensar no futuro e corrigir e mudar as suas políticas", apontou.

Ursula von der Leyen, 'spitzenkandidaten' (candidata principal) da CDU e do PPE, falou desde Bruxelas, sublinhando o excelente resultado da união dos conservadores, que estiveram "fortes e estáveis em tempos difíceis".

Cerca de 361 milhões de eleitores dos 27 países da União Europeia (UE) foram chamados a escolher a composição do próximo Parlamento Europeu, elegendo 720 eurodeputados, mais 15 que na legislatura anterior.

A Portugal cabem 21 lugares no hemiciclo europeu.

[Notícia atualizada às 11h50]

Leia Também: Alemanha. União Democrata-Cristã (CDU) vence com 30%, seguida do AfD

Recomendados para si

;
Campo obrigatório