Meteorologia

  • 21 MAIO 2024
Tempo
16º
MIN 13º MÁX 20º

Estados Unidos concluem construção de cais flutuante ao largo de Gaza

Os militares norte-americanos terminaram a instalação de um cais flutuante para a Faixa de Gaza, com os funcionários prontos para começar a transportar a ajuda humanitária para o enclave.

Estados Unidos concluem construção de cais flutuante ao largo de Gaza
Notícias ao Minuto

08:50 - 16/05/24 por Lusa

Mundo Israel/Palestina

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ordenou a construção da estrutura há dois meses.

A porta-voz do Pentágono (Departamento de Defesa dos Estados Unidos) Sabrina Singh disse aos jornalistas que o projeto vai custar pelo menos 320 milhões de dólares, incluindo o transporte do equipamento e das secções do cais dos Estados Unidos para a costa de Gaza, bem como a construção e as operações de entrega.

O cais flutuante destina-se ao envio de alimentos e outros abastecimentos básicos que não conseguem chegar ao enclave, sobretudo depois de Israel ter imposto o controlo militar do posto fronteiriço de Rafah que liga Gaza ao Egito.

A instalação do cais que está agora ancorado na praia foi adiada por quase duas semanas devido ao mau tempo e ao mar alto.

As condições marítimas tornaram "demasiado perigosa" para as tropas norte-americanas e israelitas a fixação do passadiço à costa.

De acordo com a Associated Press, os carregamentos vão ser depositados numa instalação portuária construída pelos israelitas a sudoeste da cidade de Gaza e depois distribuídos por grupos humanitários.

As tropas norte-americanas não vão aceder a Gaza, disseram as autoridades dos Estados Unidos.

Os grupos de ajuda vão recolher os mantimentos (armazenados previamente no Chipre) para distribuição em terra, com a ONU a trabalhar em conjunto com a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional com vista a instalar um centro logístico na praia.

Os violentos combates entre as tropas israelitas e forças palestinianas nos arredores de Rafah provocaram a deslocação de cerca de 600 mil pessoas, um quarto da população de Gaza, segundo as autoridades da ONU e mais de 100 mil civis fugiram de várias partes do norte de Gaza.

A Administração norte-americana informou que os combates em Gaza não estavam a ameaçar a nova área de distribuição de ajuda costeira, mas deixaram claro que as condições de segurança vão ser "monitorizadas de perto".

O local já foi alvo de tiros de morteiro durante a construção.

A "proteção das forças norte-americanas que participam (na construção da estrutura) é uma prioridade máxima. (...) Nas últimas semanas, os Estados Unidos e Israel desenvolveram um plano de segurança integrado para proteger todo o pessoal que está a trabalhar no local", disse o vice-almirante da Marinha de Guerra dos Estados Unidos Brad Cooper.

As tropas norte-americanas ancoraram o cais hoje de manhã, informou o Comando Central das Forças Armadas dos Estados Unidos em comunicado sublinhando que os militares dos Estados Unidos não entraram na Faixa de Gaza.

"As Nações Unidas vão receber a ajuda e depois coordenar a distribuição em Gaza", frisa o documentou que não especifica qual a agência da ONU que vai estar envolvida nas operações de entrega. 

As agências de ajuda humanitária afirmam que estão a ficar sem alimentos no sul de Gaza e que o combustível está a escassear, o que obriga os hospitais a suspender operações cirúrgicas e a suspenderem as entregas de ajuda por camião.

Leia Também: Netanyahu acusa Egito de "fazer refém" a população de Gaza

Recomendados para si

;
Campo obrigatório