Meteorologia

  • 19 JUNHO 2024
Tempo
20º
MIN 13º MÁX 21º

Novo presidente do Senegal quer repensar e renovar as relações com a UE

O novo Presidente do Senegal, Bassirou Diomaye Faye, quer repensar e renovar as relações entre Dacar e a União Europeia (UE) durante a visita ao país do presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, que termina hoje.

Novo presidente do Senegal quer repensar e renovar as relações com a UE
Notícias ao Minuto

11:45 - 23/04/24 por Lusa

Mundo Senegal

Faye, que tomou posse no dia 02 de abril, depois de ter vencido o candidato do Governo e até então primeiro-ministro, Amadou Ba, sublinhou, segundo a agência de notícias Europa Presse, que a cooperação com o bloco "é densa e multiforme", mas sublinhou que o Senegal "quer uma parceria repensada, renovada e fertilizada por uma visão partilhada de uma ordem internacional mais justa que reflita as realidades do mundo atual".

Numa conferência de imprensa conjunta em Dacar, apelou a "uma parceria adaptada às mudanças e capaz de apoiar a dinâmica inovadora" que as novas autoridades senegalesas "querem imprimir às relações" com o bloco europeu.

"Transmiti igualmente ao presidente do Conselho Europeu que os amigos e parceiros do Senegal são convidados a juntarem-se a nós na realização do nosso programa para um Senegal soberano, justo e próspero numa África em progresso", afirmou Faye, que sublinhou que as prioridades de Dacar "se articulam em torno de um modelo económico endógeno de industrialização como rampa de lançamento para o setor primário".

Faye sublinhou que a visita de Charles Michel ao país "é uma prova dos laços de amizade e cooperação entre o Senegal e a UE" e salientou a necessidade de ambas as partes enfrentarem "desafios comuns, como a paz, a segurança e as alterações climáticas".

Por outro lado, manifestou também a sua gratidão pelo "apoio constante da UE" ao país vizinho da Guiné-Bissau em muitos domínios, incluindo a cooperação, a energia, a agricultura, a saúde, os transportes e o emprego.

O chefe de Estado referiu ainda o apoio da UE na situação no Sahel, na luta contra o terrorismo e afirmou que é igualmente necessário abordar "a situação migratória, ligada aos problemas existentes".

Por outro lado, Charles Michel afirmou, sobre o encontro com Faye, que foi "uma boa conversa", "muito frutuosa", que "mostra que existe uma ambição comum de trabalhar para uma parceria bilateral de qualidade, baseada em dois princípios fundamentais: o respeito e a confiança".

Neste sentido, sublinhou que tinham discutido os "pilares" destas relações e confirmou que as partes deveriam também abordar "questões em que há um sentimento de que devem ser abordadas", incluindo as pescas, a fim de alcançar "melhorias para ambas as partes", face a "preocupações legítimas".

Michel também manifestou o interesse da UE em ver "o Senegal enfrentar os desafios, incluindo os da cooperação, da emergência económica e da melhoria da qualidade de vida da população", bem como o fenómeno da migração, incluindo a migração irregular.

"A ordem mundial é o resultado de escolhas políticas feitas no século passado, quando o mundo era totalmente diferente", reconheceu, antes de acrescentar que o bloco apoia "mais justiça e mais inclusão" nas organizações internacionais.

Faye venceu as eleições presidenciais como candidato independente apoiado pelo principal líder da oposição, Ousmane Sonko, depois de este último ter sido afastado na sequência da sua condenação, em 2023, por "corrupção de menores", após ter sido acusado de violação, acusação que acabou por ser rejeitada.

O atual Presidente prometeu implementar reformas políticas e económicas para restaurar a soberania nacional, incluindo em setores-chave, razão pela qual anunciou recentemente um processo de renegociação dos contratos de exploração de petróleo e gás, aos quais se juntam os assinados com a UE em matéria de pescas.

Leia Também: Morreu ex-PM e candidato nas presidenciais senegalesa Mahammed Dionne

Recomendados para si

;
Campo obrigatório