Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2022
Tempo
17º
MIN 9º MÁX 17º

"Não foi apenas contra nós". Zelensky quer Rússia sem veto na ONU

Presidente ucraniano frisou, num discurso transmitido na Assembleia Geral da ONU, que a "chantagem nuclear" deve ser "motivo de preocupação".

"Não foi apenas contra nós". Zelensky quer Rússia sem veto na ONU

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pediu, esta quarta-feira, no seu discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), uma "punição justa" contra a Rússia na sequência do conflito no seu país. "A Ucrânia quer paz, a União Europeia quer paz, o mundo quer paz", afirmou. "Há apenas um país que quer a guerra", acusou.

"As sanções contra o agressor fazem parte da fórmula para a paz", defendeu.

Zelensky foi autorizado a participar na 77.ª Assembleia Geral das Nações Unidas, através de um discurso pré-gravado, na sessão de alto nível da Assembleia Geral, onde salientou que foi cometido "um crime" contra as fronteiras da Ucrânia, bem como "contra as vidas" da sua população.

"O crime foi cometido contra a nossa dignidade. O crime foi cometido contra a comunidade das Nações Unidas. Nós exigimos punições pela tentativa de nos roubar território. Punições pelo assassinato de milhares de pessoas. Punições pelas torturas e humilhações de homens e mulheres. Punições pela turbulência catastrófica que a Rússia provocou com a sua guerra ilegal, não só contra os ucranianos, mas contra todo o mundo", enumerou.

"Não foi apenas contra nós, foi contra todos os países que têm assento nas Nações Unidas", frisou também.

No discurso, transmitido pelas 22h20, hora de Lisboa, o presidente ucraniano falou ainda da "chantagem nuclear" de Vladimir Putin, que acusou de usar a central nuclear de Zaporíjia como um "alvo".

A chantagem nuclear dos russos deve ser motivo de preocupação, porque nenhum de vocês encontrará uma vacina contra a radiação", atirou.

Numa altura em que vários países ocidentais, como a França, os Estados Unidos e até Portugal, têm apelado a uma reforma do Conselho de Segurança, principalmente diante dos bloqueios russos à situação do conflito na Ucrânia, Volodymyr Zelensky também pediu à ONU que prive a Rússia de seu direito de veto.

"Enquanto o agressor participar em discussões internacionais, ele deve ficar isolado, não deve participar na tomada de decisões", afirmou. "Não devem poder fazer compras ou turismo nos outros países."

Zelensky renovou ainda o pedido para que um tribunal internacional possa julgar os crimes de guerra alegadamente cometidos em território ucraniano.

"A Rússia concretizou uma invasão em grande escala e não tivemos escolha a não ser nos defendermos", acrescentou o líder ucraniano.

Atualmente, o petróleo e o gás são armas de agressão para a Rússia."

[Notícia atualizada às 22h57]

Leia Também: AO MINUTO: Mais de mil detidos; MNE da UE reúnem-se de emergência

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório