Meteorologia

  • 27 MAIO 2022
Tempo
32º
MIN 16º MÁX 35º

Amnistia pede investigação a cadáveres despejados em rio no Quénia

A Amnistia Internacional (AI) pediu hoje uma investigação forense imparcial sobre a descoberta de 31 corpos no rio Yala, no Quénia, que organizações humanitárias acreditam terem sido ali despejados desde 2021.

Amnistia pede investigação a cadáveres despejados em rio no Quénia

"Os corpos foram denunciados à polícia local, mas há falta de urgência ou de interesse em investigar quem matou essas pessoas, quem os está a despejar e por que razão no rio Yala", disse a delegação da organização no Quénia, num comunicado hoje divulgado.

A AI diz que são necessárias mais averiguações sobre o número total de corpos recuperados, já que as organizações humanitárias garantem ser 31, mas as autoridades policiais dizem ser apenas 19.

A organização assegurou que, depois de ter feito a sua própria investigação, conseguiu confirmar que, ao contrário do que a Polícia do Quénia tinha afirmado, estes cadáveres foram despejados no rio ao longo de vários anos.

"Todos os corpos encontrados têm sinais de tortura física e afogamento", sublinhou esta organização humanitária, que pede estudos forenses exaustivos e independentes para dar dignidade e justiça aos mortos e aos seus familiares.

Leia Também: Amnistia denuncia "perseguição impiedosa" contra apoiantes de Navalny

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório