Meteorologia

  • 25 MAIO 2022
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 26º

EUA sancionam altos funcionários cubanos acusados de repressão

O Departamento de Estado norte-americano impôs hoje sanções a nove altos funcionários de Cuba por tentarem "silenciar as vozes do povo cubano", através da "repressão e de detenções injustas" no protesto dissidente de 15 de novembro (15N).

EUA sancionam altos funcionários cubanos acusados de repressão
Notícias ao Minuto

22:08 - 30/11/21 por Lusa

Mundo EUA

Em comunicado, o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, indica que entre os punidos estão altos funcionários do Ministério do Interior e das Forças Armadas Revolucionárias de Cuba, sem adiantar as identidades.

"Antes de 15 de novembro, o regime cubano intimidou ativistas com gangues apoiados pelo governo, confinou jornalistas e membros da oposição nas suas casas", lê-se no comunicado.

Antony Blinken também destacou que as autoridades cubanas "anularam as credenciais de jornalistas para sonegar a liberdade de imprensa" e "detiveram de forma arbitrária cidadãos cubanos que tentavam manifestar-se pacificamente".

Como consequência, as pessoas sancionadas não vão poder entrar nos Estados Unidos.

O secretário de Estado observou ainda que os Estados Unidos vão continuar a usar todos os seus "instrumentos diplomáticos e económicos para garantir a libertação dos presos políticos e apoiar o apelo do povo cubano por mais liberdade".

Há duas semanas, o responsável do Departamento de Estado norte-americano para a América Latina, Brian Nichols, criticou a força policial das autoridades cubanas, que "sufocaram" o protesto convocado para 15 de novembro, destacando que o regime cubano "tem medo da voz do seu povo".

A marcha do 15N, convocada por ativistas com mais de um mês de antecipação e declarada ilegal pelo Governo, acabou por não se realizar e o dia foi normal em Cuba, apenas com a presença nas ruas de mais agentes policiais, fardados ou à civil.

No entanto, as autoridades cubanas continuam sem devolver três credenciais aos jornalistas da equipa da agência de notícias EFE em Havana.

Numa pequena nota aos assinantes, a EFE refere que "as decisões das autoridades cubanas nos últimos meses dizimaram a equipa da delegação" da agência em Havana, indicando que, atualmente, apenas dois jornalistas podem trabalhar.

"A EFE espera poder recuperar a sua habilidade informativa na ilha nos próximos dias", é acrescentado.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório