Meteorologia

  • 09 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 31º

África do Sul. Comissão faz nova audiência a Presidente sobre corrupção

O Presidente Cyril Ramaphosa vai comparecer durante dois dias, a partir de quarta-feira, perante a comissão judicial que investiga a grande corrupção no Estado, anunciou hoje a Presidência da República sul-africana.

África do Sul. Comissão faz nova audiência a Presidente sobre corrupção

O chefe de Estado será ouvido novamente pelo juiz Raymond Zondo sobre "corrupção e captura do Estado", na quarta e quinta-feira, na qualidade de Presidente e ex-vice-presidente da República da África do Sul, respetivamente, refere o comunicado divulgado na página oficial de Internet.

De acordo com a Presidência da República sul-africana, a comissão judicial de investigação indicou que "a primeira parte do depoimento do Presidente Ramaphosa abordará assuntos que ficaram pendentes após o seu comparecimento em nome do Congresso Nacional Africano em 28 e 29 de abril de 2021".

"Posteriormente, a comissão tratará dos assuntos relativos aos seus cargos no Estado", adianta a nota.

Ramaphosa assumiu, em 2018, o compromisso de prestar à comissão "todas as informações e assistência que esta possa solicitar no cumprimento do seu mandato", salienta-se.

Na sua primeira comparência na comissão judicial de investigação 'Zondo', em abril, Ramaphosa declarou que a "captura do Estado" pela grande corrupção "dividiu" o Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), o partido no poder na África do Sul desde 1994.

O chefe de Estado, que é também presidente do ANC, salientou que o partido no poder demorou seis anos para admitir a existência do fenómeno da captura do Estado pela corrupção, incluindo a falência das empresas estatais.

"O partido só tomou formalmente a decisão de apoiar a investigação [judicial] à captura do Estado na sua conferência eletiva de 2017, seis anos depois de as alegações se tornarem públicas", precisou Ramaphosa.

O ex-presidente Jacob Zuma, que cumpre uma pena de prisão de 15 meses desde 08 de julho, liderou o país entre 2009 e 2018, tendo sido afastado pelo seu partido, o ANC, antes de terminar o mandato depois de múltiplos escândalos relacionados com corrupção, desde quando era vice-presidente da República.

O ex-chefe de Estado foi substituído no cargo por Cyril Ramaphosa, que era vice-presidente de Zuma.

Leia Também: África do Sul: Governo atualiza número de mortos nos confrontos para 354

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório