Meteorologia

  • 27 SETEMBRO 2021
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 26º

Edição

Novo parlamento do Sudão do Sul toma posse

O novo parlamento do Sudão do Sul tomou hoje posse, cumprindo uma das mais importantes promessas do acordo de paz de 2018, que pôs fim a cinco anos de guerra civil.

Novo parlamento do Sudão do Sul toma posse

Um total de 588 deputados -- do partido presidencial e das antigas fações rebeldes que assinaram o acordo -- participaram numa cerimónia na capital, Juba, noticia a agência France-Presse (AFP).

A tomada de posse da nova legislatura ocorreu quase um ano depois e de forma incompleta, tendo 62 deputados não estado presentes, alguns dos quais por desacordos com o Governo.

"Só através de um propósito comum e do amor pelos outros é que podemos avançar o nosso país e asseguramos o futuro para a geração mais jovem", disse o deputado Daniel Awet, do Movimento de Libertação do Povo Sudanês (SPLM), o partido no poder.

O Presidente sul-sudanês, Salva Kiir, não participou na cerimónia.

Em setembro de 2018, o Governo do Presidente, Salva Kiir, e a oposição armada, liderada por Riek Machar, assinaram um acordo de paz na capital etíope, sob o qual foi formado, em fevereiro de 2020, um Governo de transição no qual ambos os lados estão representados.

O Sudão do Sul, com maioria de população cristã, obteve a sua independência ao separar-se do Norte árabe e muçulmano em 2011. No entanto, a partir do final de 2013, o país entrou num conflito civil, provocado pela rivalidade entre o Presidente, Salva Kiir, e o seu então vice-presidente, Riek Machar, e que resultou na morte de mais de 380 mil pessoas.

As partes formaram um Governo de unidade nacional em 2016, que caiu poucos meses após a formação devido a um reinício da violência, tendo essa sido a primeira tentativa de pacificação do jovem país africano.

Na semana passada, o movimento da sociedade civil Coligação Popular para a Ação Civil (PCCA) lançou uma campanha para a mudança, depois de uma década marcada pela guerra, corrupção e pobreza, numa iniciativa inédita no país.

Durante o dia de hoje, pelo menos duas figuras desta coligação -- o antigo governador Kuel Aguer Kuel e o analista Augustino Ting Mayai -- foram presas em Juba, segundo Rajab Mohandis, outro popular membro do movimento.

Leia Também: Responsável dos EUA chega a Cartum para ajudar transição do Sudão

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório