Meteorologia

  • 19 OUTUBRO 2021
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 28º

Edição

Estão criadas condições para iniciar vacinação em São Tomé e Príncipe

A coordenadora da campanha de vacinação contra a covid-19, que arranca esta segunda-feira, em São Tomé e Príncipe, garantiu que "as condições estão criadas" para o início processo.

Estão criadas condições para iniciar vacinação em São Tomé e Príncipe
Notícias ao Minuto

10:23 - 14/03/21 por Notícias ao Minuto

Mundo Covid-19

"Nós temos tudo o que é necessário para começar a campanha já na segunda-feira, os profissionais preparados, as vacinas, os locais e todo o resto", garantiu a jornalistas Solange Vila Nova.

O Ministério da Saúde criou 15 locais de vacinação em todo o país, três dos quais em Água Grande, o distrito mais populoso e onde a incidência de contaminação e morte pelo novo coronavírus é maior, designadamente no Centro Hospitalar de São Tomé, Centro Policlínico, no centro da capital, e na enfermaria do Quartel-general das Forças Armadas.

Os restantes cinco distritos e a Região Autónoma do Príncipe têm dois locais de vacinação cada.

A campanha vai decorrer em quatro fases distintas e terminará em 2022, altura em que o governo prevê que estejam vacinadas pelo menos 70% da população.

"Nessas quatro fases, uma primeira vai abranger 3% da população, uma segunda 17%, a terceira 30% e outros 25% na quarta fase", explicou Solange Vila Nova.

As primeira e segunda fase da campanha serão cobertas pelas 24 mil doses de vacina AstraZeneca fornecidas pela Covax, devendo a terceira e quarta fases ficar dependentes de "recursos a mobilizar".

"Ainda estamos numa fase inicial, o plano foi traçado para 70%, mas o processo visa abranger toda a população, mas isso vai depender muito das condições que vierem a ficar disponíveis", disse a responsável.

"As vacinas estão a chegar por lote, de maneira faseada, não tendo a disponibilidade total das vacinas no momento, optamos por vacinar por fases", acrescentou a coordenadora da campanha, para esclarecer por que razão fica sem vacinar 30% da população.

O executivo traçou como objetivo geral desse processo de vacinação "salvar vidas e mitigar os efeitos da pandemia covid-19 em São Tomé e Príncipe".

De acordo com o governo, as pessoas a serem vacinadas contra a covid-19 durante a primeira e segunda fase serão 1.766 profissionais de saúde, 112 assistentes sociais de instituições de cuidados e 4.356 idosas em Instituições de Saúde e Comunitária, totalizando 6.234 cidadãos.

Cidadãos com idade a partir dos 65 anos, considerados pelo ministério são-tomense da saúde como estando "mais em risco", terão prioridade nestas duas primeiras fases desta campanha.

"Nós reparamos que o maior número de óbitos foi registado em pessoas com idade a partir dos 65 anos", justificou a médica Solange Vila Nova.

Dos 32 óbitos por covid-19 registados pelas autoridades sanitárias do país, nove situavam-se nesta faixa etária.

Funcionários das câmaras distritais que realizam funerais de óbitos por covid-19, incluem-se entre as pessoas diretamente expostas à doença, mas não estão incluídas na lista de prioridades desta primeira fase de vacinação.

"São de facto consideradas pessoas em risco, mas isso é algo que ainda se pode ver, nós temos essa primeira fase traçada, vendo essa situação, elas podem também vir a ser incluídas, dependendo da disponibilidade da vacina", explicou a responsável.

Leia Também: AO MINUTO: Descontrolo no Brasil pode gerar novo vírus; “Bolha de viagem"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório