Meteorologia

  • 14 MAIO 2021
Tempo
22º
MIN 14º MÁX 23º

Edição

Nova Zelândia critica Austrália por retirar cidadania a suspeita de jihadismo

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, criticou fortemente a Austrália por ter retirado a cidadania a uma alegada jihadista com dupla nacionalidade australiana e neozelandesa, detida com os dois filhos menores na Turquia.

Nova Zelândia critica Austrália por retirar cidadania a suspeita de jihadismo

Ardern disse, visivelmente perturbada, que a Austrália "abandonou a sua responsabilidade", ao retirar a cidadania à mulher de 26 anos, que foi detida na segunda-feira na Turquia, quando tentava entrar na Síria, depois de ter sido acusada de pertencer ao autodenominado Estado Islâmico.

A líder da Nova Zelândia disse aos meios de comunicação social que no passado tinha discutido com o seu homólogo australiano, Scott Morrison, a situação da mulher e o país para onde ela deveria regressar no futuro, uma vez que tinha dupla cidadania.

A primeira-ministra acrescentou que a detida se mudou da Nova Zelândia para a Austrália, onde tem a sua família, quando tinha seis anos de idade, e partiu para a Síria, já adulta, com um passaporte australiano.

Ardern lamentou que a Austrália tenha retirado a cidadania à mulher, argumentando que ninguém deveria estar em risco de se tornar apátrida, especialmente com crianças a seu cuidado.

"Essas crianças nasceram numa zona de conflito, sem culpa própria. Virem para a Nova Zelândia, onde não têm família por perto, não beneficiaria as crianças. É bem sabido que as crianças são mais bem criadas com pessoas que as amam", disse a primeiro-ministra.

Por seu lado, Morrison disse numa conferência de imprensa em Camberra que a sua responsabilidade é colocar a "segurança nacional" da Austrália em primeiro lugar, acrescentando que é do interesse do país "revogar a cidadania das pessoas envolvidas em terrorismo".

Desde 2014, a Austrália aprovou uma série de leis contra o terrorismo islâmico, incluindo um diploma que permite a retirada da cidadania aos combatentes com dupla nacionalidade que viajaram para o Médio Oriente para combater com o Estado islâmico.

Em abril de 2019, Morrison recusou-se a repatriar três filhos do jihadista australiano assassinado Khaled Sharrouf, que lutaram pelo Estado islâmico (IS), depois de terem sido localizados num campo de refugiados na Síria.

Leia Também: Austrália suspende "bolha de viagem" com Nova Zelândia após novos casos

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2021 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório