Meteorologia

  • 06 MARçO 2021
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 21º

Edição

ONU saúda marcação de eleições na Palestina e oferece apoio

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, saudou hoje a marcação de eleições na Palestina, pelo Presidente, Mahmoud Abbas, e ofereceu apoio da ONU para que os palestinianos possam ir às urnas.

ONU saúda marcação de eleições na Palestina e oferece apoio
Notícias ao Minuto

22:28 - 16/01/21 por Lusa

Mundo ONU

"O secretário-geral saúda o decreto presidencial emitido ontem [sexta-feira] pelo Presidente Mahmoud Abbas para realizar eleições legislativas, presidenciais e do Conselho Nacional Palestiniano este ano, a partir de maio", refere o porta-voz de António Guterres, Stephane Dujarric, num comunicado hoje divulgado.

O líder das Nações Unidas pediu às autoridades palestinianas para "facilitarem, fortalecerem e apoiarem a participação política das mulheres durante o ciclo eleitoral" e acrescentou que a ONU está "pronta para apoiar os esforços do povo palestiniano para poder exercer os seus direitos democráticos".

As eleições legislativas vão acontecer no dia 22 de maio, as presidenciais em 31 de julho e a votação para o Conselho Nacional Palestiniano, órgão da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), será realizada em 31 de agosto.

"A realização de eleições na zona ocupada da Cisjordânia, incluindo na parte oriental de Jerusalém, e Gaza será um passo crucial no caminho da unidade palestiniana, dando uma legitimidade renovada às instituições nacionais, incluindo um parlamento e um Governo eleitos democraticamente na Palestina", lê-se no comunicado.

O secretário-geral da ONU espera que estas eleições contribuam para "reiniciar o processo para solução negociada de dois Estados com base nas fronteiras anteriores a 1976" e em concordância com as resoluções relevantes da ONU, os acordos bilaterais e a lei internacional.

A última eleição presidencial na Palestina ocorreu em janeiro de 2005 e as últimas eleições legislativas em janeiro de 2006.

O anúncio das eleições, na sexta-feira, seguiu-se ao encontro entre Mahmoud Abbas e o presidente da comissão eleitoral Hanna Nasser no palácio presidencial em Ramallah.

Abbas exortou a comissão e os órgãos governamentais a "lançar uma campanha eleitoral democrática em todas as províncias do país, incluindo Jerusalém", segundo o documento.

Não ficou imediatamente claro se Israel, que ocupou e anexou Jerusalém oriental, uma parte palestiniana da cidade, vai permitir que os residentes daquela área votem nas eleições.

O movimento islâmico Hamas, rival do laico Fatah de Abbas, ainda não comentou o anúncio.

Em setembro de 2020, o Hamas e o Fatah concordaram em realizar eleições "dentro de seis meses".

O anúncio veio no contexto de um diálogo entre fações palestinianas na esperança de unir forças para conter a normalização das relações entre Israel e os países do Golfo, incluindo os Emirados Árabes Unidos.

Abbas, que repetidamente prometeu eleições na última década, não esclareceu hoje se concorre à própria sucessão.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório