Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2024
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 20º

Morte de Daniel Prude. Chefias da esquadra entregam a demissão

Daniel Prude sofria de problemas mentais e foi algemado e encapuzado durante a detenção.

Morte de Daniel Prude. Chefias da esquadra entregam a demissão
Notícias ao Minuto

22:56 - 08/09/20 por Notícias Ao Minuto com Lusa

Mundo Violência policial

A chefia do departamento de polícia da cidade de Rochester, em Nova Iorque, demitiu-se, no seguimento da detenção violenta de um cidadão afro-americano que acabou por morrer depois de ter sido imobilizado no chão, com a cabeça tapada.

O autarca de Rochester, o mayor Lovely Warren, anunciou esta terça-feira que tanto o chefe da polícia, La'Ron Singletary [na imagem], como o adjunto, Joseph Morabito, anunciaram a sua demissão da força policial, noticia a BBC.

Recorde-se que sete polícias da mesma esquadra foram suspensos pela participação na detenção de Daniel Prude. O tribunal irá determinar se irão ou não ser deduzidas acusações contra os agentes em questão.

O incidente aconteceu no passado dia 23 de março e o homem acabou por morrer a 30 de março, uma semana depois, no hospital, para onde foi transportado após a detenção.

Os factos foram recentemente tornados públicos pela família da vítima que apresentou uma série de imagens do novo caso de violência policial nos Estados Unidos.

Prude, de 41 anos de idade, sofria de problemas mentais, e a polícia foi chamada a intervir depois de o irmão da vítima ter pedido ajuda, relatando na altura que Daniel apresentava sinais de distúrbios psicológicos. Quando a polícia chegou ao local, estava a correr nu pela estrada, numa altura em que estavam temperaturas negativas.

Prude foi algemado e colocado de barriga para baixo. Enquanto fazia declarações incoerentes, um agente colocou-lhe um saco de tecido na cabeça, ação que o deixou ainda mais agitado. Este tipo de capuz é utilizado para evitar que os agentes policiais sejam atingidos por fluidos corporais como saliva, em caso de o detido cuspir, e prevenir um eventual contágio com o novo coronavírus, segundo explicou a polícia.

Um agente colocou depois as duas mãos sobre o rosto de Daniel Prude, que, segundo as imagens divulgadas, estava com dificuldade em respirar e implorava que o capuz lhe fosse retirado, antes de perder a consciência. Os agentes riram-se várias vezes durante a detenção, de acordo com as imagens.

Daniel Prude entrou em coma e morreu uma semana depois ter sido hospitalizado.

O caso da morte de Daniel Prude junta-se a outros casos semelhantes ocorridos nos últimos meses e que geraram protestos nos Estados Unidos contra a violência policial de caráter racista.

Recomendados para si

;
Campo obrigatório