Meteorologia

  • 28 FEVEREIRO 2021
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 19º

Edição

RDCongo. Milícia mata cinco crianças que faziam exame final da primária

Cinco crianças entre os 10 e os 11 anos foram mortas na quinta-feira enquanto faziam um exame numa escola no nordeste da República Democrática do Congo (RDCongo), num ataque perpetrado por uma milícia, segundo fontes oficiais.

RDCongo. Milícia mata cinco crianças que faziam exame final da primária

As crianças foram mortos na escola de Ngoy, na cidade de Katanga, na província do Kivu Norte, onde estavam a fazer os seus exames de fim do ensino primário, confirmaram à agência Efe a polícia e ativistas congoleses.

"Sim, cinco estudantes finalistas do Tenafep [exame final do primeiro ciclo] perderam a vida na quinta-feira enquanto faziam os seus exames escolares no centro de Ngoy", disse o porta-voz da Polícia Nacional Congolesa (PNC), coronel François Kabeya.

Segundo a mesma fonte, este centro de exames situa-se no território dos masisi, uma zona ameaçada pelas milícias Mai Mai, nome dado a uma amálgama de grupos armados no noroeste do país, que lutam contra o Governo central e grupos rebeldes estrangeiros.

"Foi durante um tiroteio entre estes grupos armados e as Forças Armadas da República Democrática do Congo que estes estudantes foram mortos", especificou um ativista da sociedade civil masisi, Justin Mwamba, também em declarações à Efe.

Segundo Mwamba, "os assaltantes invadiram a escola e mataram as crianças, antes de fugirem com alguns examinadores que supervisionavam o exame".

"O Governo provincial do Kivu Norte não tem ainda quaisquer detalhes, qualquer informação, sobre os raptados. Soubemos que os atacantes os levaram para o mato", acrescentou Mwamba.

O porta-voz da polícia informou que tinham sido destacadas tropas do Exército para tentar encontrar os reféns.

O nordeste da RDCongo é palco de um longo conflito alimentado por milícias rebeldes e ataques de soldados regulares do Exército, não obstante a presença da missão de manutenção da paz das Nações Unidas (Monusco), que conta com mais de 18.000 soldados no país.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório