Meteorologia

  • 31 MAIO 2020
Tempo
27º
MIN 19º MÁX 29º

Edição

Covid-19: Porque 'afeta' jovens a doença que 'mata' sobretudo idosos?

Cientistas têm duas teorias relativamente a este problema: ou a carga viral é maior neste tipo de casos ou a herança genética do infetado faz com que estes jovens sejam mais suscetíveis a sofrer com os sintomas da doença.

Covid-19: Porque 'afeta' jovens a doença que 'mata' sobretudo idosos?

Durante o dia de ontem, sábado, ficou a saber-se que a Covid-19 tinha feito, no Reino Unido, mais uma vítima entre crianças. Com apenas cinco anos, uma criança morreu e, segundo o relatado, este óbito terá sido devido a condições de saúde subjacentes para lá da infeção por novo coronavírus.

Porém, este não é caso único e num momento em que todas as orientações sobre grupos de risco se dirigem aos mais velhos, o Guardian tentou perceber porque faz vítimas entre os mais novos a doença que supostamente afeta de forma mais severa os idosos.

Os cientistas consultados por esta publicação teorizam que este facto pode explicar-se por duas variáveis: Ou a carga viral é mais violenta - no caso de mortes de jovens - ou então a própria genética torna estes indivíduos mais permeáveis.

"É altamente possível que alguns de nós tenhamos uma maquiagem genética particular que faz com que seja mais provável que respondamos mal a uma infeção com este coronavírus", explica Michal Skinner, docente da Imperial College London.

Explicando que esta poderá ser uma doença com 'comportamento' semelhante ao herpes, Skinner defende que também neste tipo de infeção há pessoas que podem responder melhor e pior. 

"Poderá acontecer que estejamos a ver uma espécie de suscetibilidade em alguns indivíduos que apanham Covid-19, isso leva a que sofram mais com os efeitos secundários da doença", explica.

Porém, há outras 'doutrinas' a serem avançadas para o facto de termos jovens a falecer com esta doença. Por exemplo, a quantidade de carga viral com que cada um é infetado

"Uma pessoa com alta carga viral tem mais partículas de vírus do que uma com carga viral baixa. Não sabemos ainda qual o impacto da carga viral nos sintomas da pessoa infetada com Covid-19. Vai ser importante perceber se há uma ligação entre uma carga viral alta e os diferentes prognósticos de cada doente", defende a virologista Alison Sinclair da Universidade de Sussex.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório