Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2020
Tempo
13º
MIN 6º MÁX 13º

Edição

Guiné-Bissau: Presidente eleito aponta tomada de posse para fevereiro

O Presidente eleito da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, disse hoje que está a pensar marcar a tomada de posse para 15 de fevereiro, porque o país está parado e "há muita coisa para fazer".

Guiné-Bissau: Presidente eleito aponta tomada de posse para fevereiro

"Já falei com o Presidente cessante José Mário Vaz e estou a pensar lá para o dia 15 [de fevereiro]. Não vim aqui empurrar o homem. Já sou o Presidente eleito e não tenho pressa para tomar posse, mas o país está parado e há muita coisa a fazer", disse Umaro Sissoco Embaló.

O Presidente eleito da Guiné-Bissau falava à comunicação social no aeroporto internacional Osvaldo Vieira momentos antes de viajar para o Senegal.

"O país está numa situação económica complicada e também não posso abusar dos escassos meios que o país tem para fazer uma grande festa. Queria fazer uma coisa simbólica com os amigos. Tenho poucos amigos e bons", afirmou.

Sobre a sua visita ao Senegal, Umaro Sissoco Embaló disse que vai a Dacar a convite do chefe de Estado senegalês, Machy Sall.

"Hoje tenho um jantar com o Presidente Macky Sall, amanhã vou almoçar com o Presidente Sassou-Nguesso [da República do Congo] e no domingo com o Presidente Buari [da Nigéria], o Presidente Marcelo [Rebelo] de Sousa também já me convidou e o de Cabo Verde também", acrescentou.

Nas declarações aos jornalistas, o Presidente eleito da Guiné-Bissau reafirmou o seu compromisso com o povo guineense, salientando que venceu as eleições com o voto do povo e não da elite do país.

"Desta vez haverá solução para a Guiné-Bissau e para todos os guineenses sem exclusão. Mas uma coisa é certa haverá rigor e disciplina e cada um vai saber qual é a sua tarefa, independentemente de onde esteja", afirmou.

Umaro Sissoco Embaló disse também que não vai banalizar a função de chefe de Estado, nem a República da Guiné-Bissau.

"A primeira coisa que temos de fazer é unir os guineenses e dar confiança aos guineenses, sem arrogância. Hoje não posso estar aqui a pensar que sou melhor que os outros. Temos de ter respeito mútuo", frisou.

Umaro Sissoco Embaló regressa ao país durante a próxima semana.

Segundo os resultados provisórios da Comissão Nacional de Eleições guineense, divulgados quarta-feira, Umaro Sissoco Embaló venceu as presidenciais com 53,55% dos votos, enquanto Domingos Simões Pereira obteve 46,45%.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório