Meteorologia

  • 10 DEZEMBRO 2019
Tempo
MIN 6º MÁX 15º

Edição

Rússia e Sérvia reforçam cooperação energética e militar

Os líderes da Rússia e da Sérvia concordaram hoje em reforçar os laços nas áreas da defesa e da energia, no decurso de uma vista oficial do líder de Belgrado.

Rússia e Sérvia reforçam cooperação energética e militar
Notícias ao Minuto

21:47 - 04/12/19 por Lusa

Mundo Energia

Após receber o seu homólogo sérvio Aleksandar Vucic na estância balnear de Soshi, Mar Negro, o presidente russo Vladimir Putin disse que o fornecimento de gás natural ao país dos Balcãs foi um dos assuntos abordados.

Putin disse que a Rússia pretende continuar a canalizar gás em direção à Europa central e do sudeste através da Ucrânia, mas referiu que até ao momento Kiev propôs condições inaceitáveis para o seu trânsito. No entanto, disse esperar que a Rússia e a Ucrânia alcancem um compromisso.

Vucic sublinhou que os dois países mantêm uma "excelente" cooperação militar, e que a Sérvia aguarda a entrega de novas remessas de armamento russo.

O líder sérvio assinalou ainda que a campanha de bombardeamentos da NATO contra a Sérvia, justificada pela "guerra do Kosovo", teria sido impossível caso Putin já estivesse em funções no Kremlin.

Numa referência à atual situação regional, Vucic considerou não existirem atualmente condições para resolver as divergências entre o seu país e o Kosovo, e manifestou "pouco otimismo" sobre o processo de normalização das relações entre Belgrado e Pristina, atualmente bloqueado.

"Não sou otimista sobre [a possibilidade de] alcançar uma solução definitiva em termos de um compromisso entre Belgrado e Pristina", assinalou no início do encontro, citado pela agência noticiosa Interfax.

As negociações entre as duas partes, num processo mediado pela União Europeia, estão paralisadas desde há um ano devido à decisão do ex-primeiro-ministro kosovar, Ramush Haradinaj, em impor uma taxa de 100% sobre os produtos provenientes da Sérvia. O Kosovo, ex-província do sul da Sérvia com maioria de população albanesa, autoproclamou a independência em 2008.

Na terça-feira, durante uma deslocação a Belgrado, o Presidente da Bielorrússia Alexander Lukashenko defendeu o reforço dos laços da Sérvia com o bloco económico liderado pela Rússia, apesar das pretensões do país balcânico para garantir a adesão plena à União Europeia (UE).

No decurso de uma conferência de imprensa conjunta com Vucic, o chefe de Estado bielorrusso, um aliado da Rússia, referiu respeitar os objetivos da Sérvia face à UE, mas considerou que caso o bloco comunitário prossiga com a sua política de "ultimatos", a Sérvia deverá apontar para a União Económica da Eurásia (UEE).

A UEE integra a Rússia, Arménia, Bielorrússia, Cazaquistão e Quirguistão.

A França lidera um grupo de países da UE que defende uma reforma no processo de adesão de novos membros, incluindo a reversibilidade do processo, e que coloca num limbo as esperanças de uma integração da Sérvia e de outros países dos Balcãs ocidentais.

A decisão fez aumentar os receios sobre um reforço da influência da Rússia e da China na região, que atravessou uma guerra fratricida na década de 1990 na sequência da implosão da Jugoslávia federal.

A Sérvia, o país dos Balcãs que mantém relações mais próximas com a Rússia, assinou recentemente um acordo de comércio livre com a UEE apesar das advertências da União Europeia de que poderia comprometer as esperanças de adesão plena ao bloco comunitário.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório