Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2021
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 16º

Edição

Principais acontecimentos relacionados com assassínio de Khashoggi

Um ano após o assassínio do jornalista saudita Jamal Khashoggi no consulado da Arábia Saudita em Istambul, na Turquia, nenhum dos 11 suspeitos foi condenado.

Principais acontecimentos relacionados com assassínio de Khashoggi

Segue-se a cronologia dos principais acontecimentos relacionados com o assassínio de Jamal Khashoggi.

2018

+++ Morto no consulado +++

- 02 de outubro: Jamal Khashoggi entrou no consulado saudita em Istambul, segundo uma imagem da câmara de vigilância publicada pelo Washington Post, jornal em que Khashoggi colaborava.

De acordo com a sua noiva, o jornalista foi ao consulado para tratar de alguns documentos necessários para o casamento.

- 05 de outubro: o príncipe herdeiro Mohamed Bin Salman (conhecido como MBS) afirmou que Khashoggi entrou no consulado, mas saiu logo depois.

Uma fonte próxima do Governo turco disse no dia seguinte que "o jornalista foi morto no consulado por uma equipa que veio particularmente a Istambul e regressou no mesmo dia". Riade desmentiu.

- 07 de outubro: O Washington Post noticiou que o corpo "provavelmente foi cortado e colocado em caixas antes de ser transportado de avião para fora do país".

Segundo o New York Times, um dos homens suspeitos de ter participado no assassínio pertence à comitiva de MBS, outros três dos serviços de segurança ligados ao príncipe.

+++ Riade reconhece um "assassínio" +++

- 20 de outubro: Riade admitiu que o jornalista foi morto no consulado durante uma "rixa". O rei Salman pede ao príncipe herdeiro que reestruture os serviços de informação. Quatro responsáveis são demitidos.

Khashoggi foi vítima de um "assassínio", referiu o ministro dos Negócios Estrangeiros da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir, no dia seguinte, evocando uma "operação não autorizada", da qual o MBS "não foi informado".

- 23 de outubro: O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, descreveu um "assassínio político" "planeado", executado por uma equipa de "quinze agentes".

+++ "Desmembrado" e "dissolvido" +++

- 24 de outubro: Mohammad bin Salman reage pela primeira vez publicamente: "Este é um incidente horrível e totalmente injustificável".

O Ministério Público turco anunciou no final de outubro que Khashoggi foi morto por "estrangulamento" e o seu corpo "desmembrado".

- 02 de novembro: Erdogan acusou os "mais altos níveis do Governo saudita" de terem ordenado o assassínio, excluindo o rei. O seu assessor afirmou que o corpo foi desmembrado para que pudesse ser "dissolvido".

- 15 de novembro: Washington anunciou sanções contra autoridades sauditas. Alemanha, França e Canadá replicaram essas medidas.

+++ Trump: aliança com Riade +++

- 16 de novembro: O jornal Washington Post relatou que a CIA concluiu que MBS ordenou o assassínio.

- 20 de novembro: O Presidente dos EUA, Donald Trump, não exclui que o príncipe estava ciente, mas indicou que "os Estados Unidos pretendem permanecer um parceiro inabalável da Arábia Saudita". A CIA "não encontrou nada absolutamente certo", acrescentou.

- 04 de dezembro: Senadores republicanos dizem, depois de terem sido informados das conclusões da CIA, que "não têm dúvidas" de que o príncipe tinha "ordenado" o assassínio.

- 13 de dezembro: o Senado adotou uma resolução mantendo MBS como "responsável".

2019

+++ Elementos de prova "credíveis" +++

- 03 de janeiro: O procurador-geral saudita exige pena de morte contra cinco dos 11 suspeitos acusados do assassínio, no julgamento em Riade.

- 19 de janeiro: A relatora especial da ONU, Agnès Callamard, indicou ter "elementos de prova credíveis, justificando uma investigação adicional da responsabilidade individual de altos responsáveis sauditas, incluindo a do príncipe herdeiro".

O relatório é "sem fundamento", reagiu Riade.

- 29 de janeiro: Donald Trump considerou que a responsabilidade do príncipe não estava estabelecida.

- 26 de setembro: O canal de televisão americano PBS relatou citações do MBS, segundo o qual disse em dezembro de 2018 assumir a responsabilidade pelo assassínio, mas garantiu que só tomou conhecimento depois dos factos.

- 1 de outubro: Um dos filhos do jornalista saudita, Salah Khashoggi, afirmou na rede social Twitter a sua "confiança" na justiça saudita e criticou aqueles que procuram explorar o caso para prejudicar, segundo Salah, os líderes sauditas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório