Meteorologia

  • 23 AGOSTO 2019
Tempo
30º
MIN 25º MÁX 32º

Edição

Após 18 horas, Conselho Europeu foi suspenso. Será retomado amanhã

Após 18 horas de encontro, líderes europeus decidiram suspender reunião por não chegarem a um consenso.

Após 18 horas, Conselho Europeu foi suspenso. Será retomado amanhã

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, decidiu suspender os trabalhos da cimeira extraordinária destinada à discussão das nomeações para os cargos de topo da União Europeia, com a reunião a ser retomada às 11h00 de terça-feira em Bruxelas [10h em Portugal Continental].

"O presidente Tusk suspendeu a reunião e esta será retomada às 11h00" locais de terça-feira, menos uma hora em Lisboa, anunciou o porta-voz do dirigente, Preben Aamann, na sua conta na rede social Twitter.

O Conselho Europeu, reunido em Bruxelas desde o final da tarde de domingo, voltou hoje a falhar um acordo sobre as nomeações para os cargos institucionais de topo, incluindo a presidência da Comissão Europeia.

Ao cabo de 18 horas de discussões -- os chefes de Estado e de Governo chegaram à cimeira às 18:00 locais de domingo (menos uma hora de Lisboa) e estiveram reunidos, a 28 mas também em encontros bilaterais e várias rondas de consultas, até às 12:20 de hoje -, o presidente do Conselho Europeu suspendeu os trabalhos face à impossibilidade de se chegar a um compromisso, a cerca de 48 horas de o Parlamento Europeu eleger o seu presidente.

Depois de já ter falhado um acordo na cimeira extraordinária de 20 de junho, o Conselho Europeu voltou a não entender-se em torno das soluções propostas, com vários líderes do Partido Popular Europeu (PPE) a oporem-se à solução negociada, em Osaka, entre a chanceler alemã Angela Merkel (PPE), o presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez (Socialistas) e o Presidente francês, Emmanuel Macron (Liberais), que previa a designação do socialista holandês Frans Timmermans para a presidência da Comissão Europeia.

Fontes europeias indicaram que as últimas propostas sobre a mesa previam invariavelmente Timmermans como presidente do executivo comunitário, mas não houve entendimento sobre a distribuição dos restantes postos, incluindo os nomes da búlgara Kristalina Georgieva, do Partido Popular Europeu (PPE), para a presidência do Conselho Europeu, do alemão Manfred Weber (PPE) para a presidência do Parlamento Europeu, e do belga Charles Michel (Liberal) para Alto Representante da UE para a Política Externa.

Este novo adiamento acontece em cima do prazo limite para tentar encontrar um compromisso, uma vez que na terça-feira tem início, em Estrasburgo, França, a sessão inaugural da nova legislatura do Parlamento Europeu (PE), na qual será eleito o presidente da assembleia, um dos lugares de topo negociados 'em pacote'.

Com o aproximar da sessão constitutiva do PE resta pouco tempo aos líderes da UE para chegar a um entendimento que evite uma crise institucional na UE, e que, em último caso, forçaria a atual 'Comissão Juncker' a estender o seu mandato, que termina em 31 de outubro próximo.

O Parlamento Europeu já tinha decidido adiar por 24 horas a eleição do seu novo presidente, que estava agendada para terça-feira, primeiro dia da sessão, e passa para quarta-feira, esperando que até lá o Conselho chegue a um compromisso.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório