Meteorologia

  • 21 JULHO 2019
Tempo
26º
MIN 22º MÁX 31º

Edição

Querem retirar nome de ator de aeroporto devido a entrevista com 48 anos

A polémica estalou quando excertos de uma entrevista de John Wayne à revista Playboy foram partilhados no Twitter. O conhecido ator dizia acreditar na "supremacia branca" e criticava filmes "pervertidos" com cenas homossexuais.

Querem retirar nome de ator de aeroporto devido a entrevista com 48 anos
Notícias ao Minuto

09:21 - 03/03/19 por Fábio Nunes 

Mundo John Wayne

Uma entrevista de John Wayne à revista Playboy em 1971 está no centro de uma recente polémica nos Estados Unidos. Apesar de já ter várias décadas e de John Wayne ter morrido em 1979, a entrevista voltou a estar em destaque depois de um argumentista do Tennessee ter publicado alguns excertos que se tornaram virais.

Algumas das afirmações de John Wayne, um dos atores mais populares das décadas de 50 e 60 e dos westerns, ganharam nova dimensão e tornaram-se controversas e, num processo semelhante ao da retirada de estátuas de militares da Confederação, levaram a que várias pessoas pedissem para que o aeroporto de Orange County, na California, deixasse de ter o nome do ator, segundo a CNN.

“Acredito na supremacia branca. Não podemos nos pôr de repente de joelhos e entregar tudo à liderança dos negros. Não acredito em dar autoridade e posições de liderança e de julgamento a pessoas irresponsáveis”, é uma das afirmações de John Wayne nessa entrevista.

O ator diz ainda não se “sentir culpado” com a história de escravatura nos Estados Unidos e fala também dos nativos americanos. “Eu não acho que fizemos mal em tirar-lhe este grande país, se é isso que me está a perguntar (…) Foi uma questão de sobrevivência. Havia muitas pessoas que precisavam de novas terras e os índios estavam a tentar ficar com elas de forma egoísta”.

Mostrou-se ainda preocupado com o caminho que o cinema seguia, realçando o que definia como sendo filmes “pervertidos”, por retratarem cenas homossexuais. O ator deu como exemplo ‘Easy Rider’ e ‘Midnight Cowboy’. “Não diria que o maravilhoso amor daqueles dois homens em ‘Midnight Cowboy’, uma estória de dois paneleiros, é um exemplo?”.

John Wayne era um conservador, defendeu a guerra no Vietname quando grande parte da opinião pública norte-americana pensava de forma oposta e foi membro de uma sociedade anti-comunista, como refere o Washington Post.

Se é verdade que a sua entrevista de 1971 gerou uma onda de críticas, também há quem questione a atenção que está a ser dada a uma entrevista com quase 50 anos. A publicação dos excertos no Twitter lembra o que aconteceu recentemente com James Gunn e Kevin Hart com a publicação de tweets antigos pouco abonatórios e que levaram a Disney a abdicar do primeiro para ser o realizador do próximo filme de ‘Guardians of the Galaxy’ e do segundo a decidir não apresentar a cerimónia dos Óscares deste ano.

Em declarações à CNN, o filho de John Wayne, Ethan, saiu em defesa do ator. “Obviamente não quero que o meu pai seja difamado por alguém que está a pegar em palavras de uma entrevista que durou oito horas e que está a usá-las de forma descontextualizada. É injusto julgarem uma pessoa por isso (…) Qualquer discussão para retirarem o nome dele do aeroporto deve levar em conta a vida do John Wayne e não ter por base uma entrevista”.

John Wayne ganhou o Óscar de Melhor Ator em 1969 por ‘True Grit’.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório