Meteorologia

  • 19 MARçO 2019
Tempo
16º
MIN 13º MÁX 20º

Edição

Autoridades turcas creem que restos mortais de Khashoggi foram queimados

O jornalista foi assassinado dentro do consulado saudita em Istambul em outubro do ano passado.

Autoridades turcas creem que restos mortais de Khashoggi foram queimados
Notícias ao Minuto

16:39 - 14/02/19 por Sara Gouveia 

Mundo Crime

A polícia turca acredita que os restos mortais do jornalista saudita, Jamal Khashoggi, poderão ter sido incinerados. A informação foi revelada num relatório policial a que agência de notícias turca Anadolu teve acesso.

O consulado tinha dois poços e um forno a gás com fundo de madeira que podia atingir os mil graus, o que destruiria qualquer vestígio de ADN, refere ainda o documento. 

Depois de fazerem várias afirmações contraditórias sobre o destino de Khashoggi, Riade admitiu que este tinha sido morto e que o corpo tinha sido desmembrado quando as negociações para o persuadir a regressar à Arábia Saudita falharam. A polícia acredita que as informações obtidas durante a investigação indicam que os restos desmembrados terão sido incinerados.

Apesar de terem sido levadas a cabo buscas no interior do consulado saudita em Istambul, na residência do cônsul e noutros locais de referência, os restos mortais do jornalista nunca chegaram a ser encontrados. 

Recorde-se que Jamal Khashoggi, que era um conhecido crítico do Príncipe Herdeiro da Arábia Saudita, foi morto no interior do consulado saudita na Turquia, a 2 de outubro, depois de ter entrado para pedir documentação para obter uma autorização de casamento.

A morte fez escalar as tensões entre a Turquia e a Arábia Saudita, apesar de o presidente Recep Tayyip Erdogan ter boas relações com o monarca saudita. Erdogan referiu que o assassinato de Khashoggi tinha sido ordenado por altos responsáveis sauditas e pediu, em várias ocasiões, que fossem identificados colaboradores locais que tivessem estado envolvidos na morte. Mas Riade sempre rejeitou as acusações do envolvimento do Príncipe Herdeiro no crime.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório