Meteorologia

  • 29 MAIO 2024
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 29º

Se "não dá para ser sem cancro, que seja ZENcancer": O ioga como terapia

Chegou, esta semana, a Portugal, o instituto ZENcancer, um projeto brasileiro que oferece terapias complementares a doentes oncológicos, com o objetivo de promover o bem-estar. Para entender melhor o conceito e as vantagens que oferece, falámos com a fundadora, Luciana Lobo.

Se "não dá para ser sem cancro, que seja ZENcancer": O ioga como terapia
Notícias ao Minuto

08:50 - 09/02/23 por Margarida Ribeiro

Lifestyle Entrevista

Apesar de significativo, o impacto de um diagnóstico de cancro, seja ele qual for, não é só físico, mas também psicológico. Cuidar da saúde mental, nestes momentos, é essencial e, recentemente, chegou um projeto que tem como missão ajudar. Chama-se ZENcancer. 

Leia Também: Sensação na barriga pode ser sintoma de cancro pouco falado

A ideia surgiu, em meados de 2017, no Brasil, quando Luciana Lobo, professora de ioga e mestre em Microbiologia, foi diagnosticada com cancro da mama. 

Na altura, a vontade de ajudar falou mais alto e começou a ensinar outras pessoas, com diagnósticos semelhantes, a reduzir o stress e melhorar o bem-estar, através de práticas como o ioga.

O feedback foi tão positivo que a ideia rapidamente evoluiu e se criou este instituto. Agora, anos mais tarde, expandiu-se Portugal.

Para já, só vai oferecer aulas de ioga restaurativo, mas o objetivo é que, a longo prazo, o instituto disponibilize por cá as práticas disponíveis no Brasil, nomeadamente, acupuntura, auriculoterapia, psicologia positiva, massagem, 'mindfulness', imposição de mãos e terapia com florais.

Leia Também: Cancro da próstata: Como detetar precocemente? Um médico explica

Apesar de todos os desafios enfrentados pelo paciente oncológico, quero que ele tenha momentos de paz, relaxamento, acolhimento e muito amor

Como surgiu a ideia de criar esta associação? 

Logo após receber o diagnóstico de cancro da mama, em 2017, comecei a pensar em como poderia ajudar outras pessoas que também estavam a fazer tratamento oncológico. Já era professora de ioga restaurativo e percebi, no meu corpo, os benefícios dessa prática entre os ciclos de quimioterapia. Senti que essa era a minha missão, partilhá-la com pessoas que têm as mesmas dificuldades e efeitos secundários como insónias, fadiga e ansiedade.

Durante as minhas noites de insónias, causadas pelo excesso de corticoides, usei o tempo para idealizar três projetos que beneficiam todas pessoas que são afetadas pelo cancro (pacientes, familiares e profissionais da saúde).

Quando terminei a primeira fase do tratamento, passei a oferecer, gratuitamente, aulas presenciais a pacientes oncológicos, no meu estúdio de ioga. Assim, o projeto cresceu rapidamente, todas as semanas chegavam novos pacientes à procura de bem-estar. 

Qual é o conceito? 

Já que não dá para ser sem cancro, que seja ZENcancer. Apesar de todos os desafios enfrentados pelo paciente oncológico, quero que ele tenha momentos de paz, relaxamento, acolhimento e muito amor. 

Notícias ao Minuto Luciana Lobo© Instituto ZENcancer  

As práticas que propõem servem como um complemento aos tratamentos médicos? Quais são? 

No Brasil, o ZENcancer oferece mais de 20 práticas, além de um programa de teatro e escrita criativa. Já em Portugal começaremos só com o ioga restaurativo até estruturarmos a nossa rede de voluntários e conseguirmos crescer.

Ioga restaurativo complementa o tratamento médico, pois traz o benefício maravilhoso do relaxamento, diminui a ansiedade e ajuda o corpo a recuperar e restaurar durante e após o tratamento - altura em que, muitas vezes, a ansiedade aumenta por medo da recidiva da doença. 

É um espaço saudável de saúde integrativa, onde ele [o paciente] é o centro, não a doença. Ele é muito mais do que o diagnóstico

Que tipo de especialistas consultou para desenvolver as práticas do instituto? 

A criação das posturas restaurativas é creditada ao mestre indiano B.K.S. Iyengar que, através da sua experiência pessoal e observação, as adaptou para que os seus alunos as pudessem fazer com segurança, permanecendo nelas o tempo suficiente para sentirem os efeitos terapêuticos.

Mais tarde, os ensinamentos do Mestre BKS Iyengar inspiraram a sua aluna sénior, a norte- americana Judith H. Lasater Ph.D, a desenvolver o método 'Relax and Renew', tornando a montagem das posturas restaurativas mais confortáveis, com foco no relaxamento e na libertação do stress.

Pratico e estudo ioga restaurativo desde 2004. Ao longo dos anos, tive a oportunidade de estudar com reconhecidos professores e especializar-me em dar aulas a pessoas com pouca mobilidade ou que usam cadeira de rodas. Inaugurei, no Rio de Janeiro, em 2018, o YOGAPICs, o primeiro estúdio de ioga restaurativo acessível a todos. 

Após cinco anos de experiências, desenvolvemos o RestauraZEN, um protocolo de atendimento composto por exercícios respiratórios, posturas de mobilidade para as articulações, alongamento suave da musculatura, técnicas de automassagem e posturas restaurativas. 

O ioga restaurativo é uma prática terapêutica que procura o relaxamento físico, através de posturas em que o corpo fica apoiado nos materiais (almofadas, mantas e cadeiras), cujo objetivo é dar segurança ao corpo, remover todo o esforço muscular e proporcionar conforto para que o praticante permaneça nas posturas entre cinco a 15 minutos.

Leia Também: "Falta de consciência". Cancro oral faz soar alarmes: O que deve saber

Como é que estas práticas melhoram a qualidade de vida dos pacientes? 

O que mais ouvimos dos participantes é que quando chegam ao ZENcancer se sentem acolhidos, compreendidos e cuidados. É um espaço saudável de saúde integrativa, onde ele [o paciente] é o centro, não a doença. Ele é muito mais do que o diagnóstico. 

Acho que essa resposta é simples, a prática restaurativa, se bem conduzida, poderá acionar o sistema nervoso autónomo parassimpático, ativando a resposta de relaxamento. Ao tirar o corpo do estado de luta ou fuga, ele poderá beneficiar do descanso, digerir, restaurar, regenerar e fazer todas as coisas que não pode fazer quando se está stressado.

Com estas práticas, os pacientes começam a aceitar o diagnóstico; aprendem a viver com todas as mudanças na rotina e no corpo; desenvolvem resiliência no momento do tratamento; observam a respiração; vivem no momento presente; e reconhecem as pequenas alegrias no dia, como observar o mar, o céu azul, as flores, a vida. Dentro de nós estão todas as respostas que procuramos fora e as ferramentas internas que precisamos para lidar com as experiências externas. 

Como paciente oncológica posso dizer que os meus dias são mais coloridos. Todos os dias quando acordo agradeço estar aqui, cada dia que vivo tenho a oportunidade de conhecer novas pessoas, ajudar. Viver assim é uma escolha diária. 

Existe um ciclo natural na vida de dar e receber e por incrível que pareça é mais fácil dar do que receberQue tipo de pessoas procuram a associação? 

Estamos a começar em Portugal e ainda não temos um perfil dos participantes, mas se olharmos para o exemplo do Brasil, provavelmente serão 95% de mulheres, 70% com cancro de mama. É importante afirmar que a Associação ZENcancer é para todas as pessoas que estejam a passar pelo tratamento oncológico ou já tenham passado e queiram dar outro significado à experiência através da restauração do corpo.

Funciona tudo à base de voluntariado?

Todos os instrutores de ioga restaurativo são voluntários e os atendimentos são gratuitos. Os únicos que poderão ser remunerados são algumas áreas administrativas.

Quais as qualificações necessárias para se fazer parte da associação? 

Como voluntários é necessário fazer o curso e passar pelo treino que ensina o protocolo RestauraZEN, mas todos podem apoiar. O meu desejo é que tenhamos o ZENcancer em todas as cidades, inclusivamente nas aldeias de Portugal, com um voluntário presente ou com a divulgação de que existimos, para que os pacientes possam fazer a prática online.

A ideia sempre foi, desde o início, fornecer tudo de forma gratuita? Porquê? 

Isso perguntam sempre. Sim, tudo gratuito, mesmo para quem pode pagar. Existe um ciclo natural na vida de dar e receber e por incrível que pareça é mais fácil dar do que receber. O nível de envolvimento e amorosidade que conseguimos oferecer aos participantes, não seria igual se eles pagassem, pois a relação com o ZENcancer seria de "prestador de serviço", percebe?

Hoje, temos muitos voluntários no Brasil que foram participantes do ZENcancer. Eles reconheceram, como participantes, os benefícios do que oferecemos e quiseram ajudar a fortalecer e expandir as nossas ações, tornando-se voluntários. Um ciclo saudável de dar e receber.

Expandir este projeto até Portugal sempre foi um objetivo? Porquê agora? 

Sempre quis que o projeto crescesse. Sempre visualizei isso nas minhas práticas de meditação, mas chegar a Portugal foi uma surpresa feliz. Eu sou portuguesa por parte de mãe. O meu bisavó, Avelino, saiu de Santo Tirso, no começo do século passado, sem nada, e construiu uma família enorme no Brasil. Fico muito feliz de voltar para Portugal trazendo o ZENcancer. 

O convite veio da Maria Alice Medina, que tem o olhar na saúde e no bem-estar, um exemplo de pessoa que pratica o autocuidado. Fisioterapeuta, terapeuta crâniosacral e escritora. Ela é hoje a Diretora Institucional da Associação e tem recrutado toda a sua rede de amigos para viabilizar e consolidar o ZENcancer em Portugal. 

Leia Também: Inflamatória e anticancro. Bebida que tem sempre em casa dá anos de vida

Em que zonas do país vão marcar presença? 

Agora, começamos com duas bases de apoio: o espaço Be The Change em Matosinhos, região norte e a Casa Samyamano Seixal, Margem Sul de Lisboa.

Estamos a criar o nosso planeamento estratégico para o crescimento e expansão em Portugal. Queremos expandir em parceria com outras associações que oferecem atendimento aos pacientes oncológicos, as casas de apoio aos pacientes em tratamento e os hospitais. Estamos a programar atividades online para que a pratica do ioga restaurativo chegue a todos os lugares.

Para poder atender a todos idealizei, com a ajuda de um designer, um suporte de ferro chamado 'Lubo' que torna as posturas ainda mais seguras e confortáveis

Já têm alunos e voluntários inscritos em Portugal? 

Sim, já formei 35 instrutores de ioga restaurativo, em 2022, e quero formar, pelo menos, 50 em 2023. Nem todas as pessoas que fazem o curso se tornam voluntários, já que a formação é para todos os que desejam aprender uma prática de relaxamento que poderá ser usada por professores de ioga, fisioterapeutas, psicólogos, qualquer pessoa que deseja restaurar um ser humano, como quem restaura uma obra de arte.

As aulas presenciais de ioga restaurativo para os pacientes oncológicos já começaram na Casa Samyama.

As práticas que oferecem no Brasil vão estar disponíveis cá? 

É o que desejo. No Brasil, temos uma história de cinco anos. Portugal começa com esta experiência, de um crescimento orgânico e consistente. É uma cultura diferente, por isso, queremos que mais e mais portugueses se envolvam com a associação.

Sonho acordada que o ZENcancer seja um dia uma referência mundial na assistência humanizada a todas as pessoas tocadas pelo cancro, reduzindo o estigma sobre a doença, proporcionando acolhimento, bem-estar e conforto, sendo um pilar de tratamento, recomendado pelos médicos e demais profissionais de saúde.

Já estamos em contacto com outras associações africanas que querem levar o ioga restaurativo para os seus países e estou pronta para ensiná-los e partilhar toda a minha experiência.

Que outras atividades, além do ioga, vai oferecer a associação?  

Começaremos com o ioga restaurativo e estamos a organizar um núcleo de psicoterapia. Uma voluntária que fará a coordenação desse trabalho, em Portugal, já está em contacto com a psicóloga responsável, no Brasil, para compartilhar as experiências brasileiras. 

As práticas são adequadas a pessoas com todo o tipo de cancro? Ou não é recomendado para alguns? 

Sim! Para todos os tipos. No Brasil, atendemos pacientes em total remissão, assim como pacientes em cuidados paliativos. Para poder atender a todos idealizei, com a ajuda de um designer, um suporte de ferro chamado 'Lubo' que deixa as posturas ainda mais seguras e confortáveis. No Brasil, temos participantes que, logo após a cirurgia, e com a autorização do médico, fazem as práticas de relaxamento com esse suporte.

Leia Também: Desengane-se. Vacina contra HPV não é só para mulheres (pais, leiam isto)

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório