Meteorologia

  • 24 MAIO 2024
Tempo
20º
MIN 13º MÁX 25º

Cancro da próstata: Como detetar precocemente? Um médico explica

"No sábado, 4 de fevereiro, assinalou-se o Dia Mundial do Cancro, pelo que se torna fundamental alertar para aquele que é o tipo de cancro mais frequente no homem em Portugal e para o seu diagnóstico precoce", afirma Francisco Botelho, coordenador de urologia no Hospital CUF Trindade, que assina este artigo partilhado com o Lifestyle ao Minuto.

Cancro da próstata: Como detetar precocemente? Um médico explica
Notícias ao Minuto

15:55 - 06/02/23 por Notícias ao Minuto

Lifestyle doenças oncológicas

Em Portugal, estima-se que só em 2020, tenham sido identificados 6759 novos casos de cancro da próstata. É, assim, o cancro mais frequente nos homens, representando 20,4% de todos os casos de cancro. Felizmente, atualmente, a maioria dos homens diagnosticados não morre por esta doença. Contudo, um diagnóstico precoce é fundamental para um melhor prognóstico.

Os fatores de risco, bem estabelecidos, de cancro da próstata são a idade, raça, história familiar e presença de determinadas mutações genéticas e não são modificáveis. Isto é, não há nenhuma mudança de atitude, em termos de alimentação, hábitos de vida ou prática desportiva, que reduza o risco de desenvolver a doença.

Leia Também: Há vida sexual além do cancro da próstata. As explicações de um médico

Como se pode detetar numa fase precoce? Através da realização de exames de rastreio é possível a deteção do cancro da próstata numa fase inicial, ainda sem sintomas, mas já detetável em exames. Os exames indicados são: uma simples análise sanguínea chamada PSA (prostate specific antigen; por vezes também designada de PSA total); a realização do toque rectal (exame rápido e indolor). As ecografias prostáticas não são um exame aconselhado e não devem substituir os recomendados. Deve sempre aconselhar-se com o seu médico que dará a indicação da necessidade de realizar outros exames de acordo com a sua situação clínica específica.

Notícias ao Minuto Francisco Botelho, coordenador de urologia no Hospital CUF Trindade© CUF

O rastreio deve ser iniciado entre os 40 e os 55 anos e a sua periodicidade deve ser ajustada ao último valor de PSA, sempre de acordo com as indicações do médico que o acompanha. O rastreio ao cancro da próstata é recomendado por várias entidades europeias e a Associação Portuguesa de Urologia também recomenda a sua realização de forma sistemática.

Leia Também: 'Assassino silencioso'. Não desvalorize estes sintomas precoces de cancro

Os exames referidos detetam os cancros da próstata numa fase bastante mais precoce da doença, muitas vezes, muitos anos antes de esta se manifestar. Quando detetado nesta fase inicial, os tratamentos são efetuados com uma elevada taxa de sucesso, resultando em grande probabilidade de cura. Isto explica porque um grande ensaio clínico, realizado na Europa, demonstrou uma redução significativa da mortalidade por cancro da próstata, nos doentes submetidos a rastreio.

O diagnóstico em fases precoces da doença, também permite a utilização de tratamentos inovadores. Estes são menos agressivos e evitam muitos dos efeitos laterais tradicionais.

Procure o seu médico

Nunca é demais relembrar que um simples exame e uma vigilância médica regular lhe podem salvar a vida. Consulte o seu médico de medicina geral e familiar ou o seu urologista para orientação sobre o tema.

Leia Também: Colesterol perigosamente alto vê-se nos olhos. Fique atento a este sinal

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório