Meteorologia

  • 21 JULHO 2018
Tempo
23º
MIN 23º MÁX 23º

Edição

Confiança dos consumidores em máximos e mais próxima da média europeia

A confiança dos consumidores em Portugal subiu no terceiro trimestre deste ano para o valor mais alto desde sempre e está mais próxima da média europeia, segundo um estudo da Nielsen hoje divulgado.

Confiança dos consumidores em máximos e mais próxima da média europeia
Notícias ao Minuto

08:35 - 13/12/17 por Lusa

Economia Estudo

De acordo com os dados disponibilizados no relatório internacional que mede a confiança dos consumidores em todo o mundo, Portugal alcançou os 85 pontos ao nível da confiança dos consumidores, estando apenas a dois pontos da média europeia.

O terceiro trimestre de 2017 "revela mais uma vez que a confiança dos consumidores portugueses continua a subir", com o Índice de Confiança dos Consumidores Portugueses a subir 15 pontos face ao período homólogo, atingindo 85 pontos, o valor mais alto desde sempre em Portugal.

A Europa alcançou 87 pontos e países como a Finlândia (81), França (71), Rússia (70), Itália (65) e Grécia (60) apresentam níveis de confiança inferiores ao dos consumidores portugueses.

Espanha ultrapassou a média europeia, alcançando 91 pontos, destacou.

"De acordo com este estudo trimestral da Nielsen, os países otimistas são aqueles que apresentam um índice superior a 100 pontos. No entanto, tendo em conta o histórico da confiança nacional e o pessimismo que caracteriza tipicamente os portugueses, o valor alcançado de 85 pontos revela-se muito positivo e demonstra um otimismo crescente em Portugal", segundo Ana Paula Barbosa, da Nielsen Portugal.

Este otimismo verifica-se, por exemplo, continua, quando 55% (contra 27% no período homólogo) considera que o seu país já não está em recessão económica, numa opinião partilhada por apenas 43% dos europeus.

As perspetivas profissionais e financeiras dos consumidores portugueses voltaram também a apresentar melhorias relativamente ao ano passado, com 38% dos inquiridos a revelar ter boas perspetivas no que se refere à sua situação profissional para os próximos 12 meses (uma melhoria de 22 pontos percentuais face ao período homólogo) e "já são quase metade os que se mostram confiantes em relação à sua situação financeira", acrescenta.

"Este clima de otimismo faz com que os consumidores portugueses estejam mais disponíveis para o consumo e 29% consideram que os próximos 12 meses serão uma boa altura para comprar aquilo que querem ou de que necessitam (mais sete pontos percentuais face ao período homólogo)", sinaliza.

Após o pagamento das despesas essenciais, 26% refere despender em atividades de entretenimento fora de casa e 21% em férias.

Ainda de acordo com o histórico deste relatório, verifica-se, a partir do início da crise, um aumento da percentagem de portugueses que, após o pagamento das despesas essenciais, optam por utilizar o dinheiro excedente para fazer poupanças.

"Este hábito de poupança adquirido numa altura de recessão acaba por ser mantido após a crise, tendo-se até acentuado. São hoje 47% aqueles que optam por utilizar o dinheiro excedente para fazer poupanças", refere.

No 'ranking' das principais preocupações dos portugueses, está o terrorismo, referido por 24% dos inquiridos e que surge logo após o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, que continua a liderar as preocupações dos consumidores nacionais.

O relatório internacional "Estudo Global de Confiança dos Consumidores" mede as perspetivas de trabalho, finanças pessoais e intenções de compra dos consumidores de todo o mundo, analisando as respostas de um universo de 30.000 inquiridos com acesso à internet em 63 países.

Em Portugal, o inquérito do terceiro trimestre foi realizado entre os dias 13 e 22 de setembro, com uma amostra de 499 inquiridos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.