Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2024
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 14º

Burlas na concessão de crédito? Evite-as com estas dicas

Este tipo de esquemas aproveita-se da urgência e de algum desespero por parte das pessoas para as atrair e as levar a fornecer dados e, muitas vezes, a darem acesso a contas. Saiba como os evitar.

Burlas na concessão de crédito? Evite-as com estas dicas
Notícias ao Minuto

08:32 - 20/11/21 por Notícias ao Minuto

Economia Crédito

"As promessas de melhores condições e processos mais rápidos acabam por levar algumas famílias a serem alvo de burla", diz Rui Bairrada, CEO do Doutor Finanças, numa altura em que o número de fraudes associadas aos empréstimos são cada vez mais frequentes. 

Este tipo de esquemas aproveita-se da urgência e de algum desespero por parte das pessoas para as atrair e as levar a fornecer dados e, muitas vezes, a darem acesso a contas.

Para os evitar, o Doutor Finanças dá as seguintes dicas para identificar uma potencial burla. Tome nota: 

  • Entidade não se encontra na lista de entidades autorizadas 

"Analisar se a entidade que entra em contacto connosco se encontra na lista de instituições registadas pelo Banco de Portugal é talvez o passo mais importante e que pode logo desmistificar se é, ou não, uma burla." Pode aceder à lista aqui

  • Cobrança de processo de avaliação do cliente

"É muito recorrente que, as instituições ditas fraudulentas, cobrem para fazer a avaliação da situação do cliente. Se isto acontecer é de desconfiar. Por lei, não é permitido cobrar qualquer tipo de valor na fase de avaliação."   

  • Contactos da instituição  

"Muitas vezes, as entidades fraudulentas chegam mesmo a utilizar o nome e a imagem de outras instituições autorizadas. Por esta razão deve pesquisar os contactos num motor de busca para verificar se estes pertencem, ou não, à entidade oficial." 

  • Falta de informação sobre a entidade  

"Procure informações sobre a idoneidade da empresa mediadora de crédito e testemunhos, seja na imprensa ou em notícias na internet. Verifique possíveis reclamações em sites confiáveis do tipo 'Portal da Queixa' ou simulares."

  • Tipo de comunicação  

"Devemos estar atentos a pequenos detalhes, como o tipo de escrita que é utilizada, se existem erros ortográficos, gramaticais ou incoerências. Devemos desconfiar da utilização de linguagem como "dinheiro fácil" ou "sem burocracias", por exemplo."

Leia Também: Competição pode levar bancos a assumirem demasiados riscos, diz Centeno

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório