Meteorologia

  • 24 JANEIRO 2021
Tempo
14º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Revolut fala com SIBS há quase um ano para aceder ao "difícil" Multibanco

O presidente executivo (CEO) e cofundador da empresa de pagamentos eletrónicos Revolut, Nikolay Storonsky, disse hoje à Lusa que a empresa continua a trabalhar com a SIBS para ter acesso à rede Multibanco.

Revolut fala com SIBS há quase um ano para aceder ao "difícil" Multibanco
Notícias ao Minuto

16:34 - 04/12/20 por Lusa

Economia CEO

"Sim, é muito difícil ter acesso à rede de pagamentos local [Multibanco, da SIBS]. Ainda estamos a trabalhar para ter acesso a ela", disse Nikolay Storonsky em entrevista dada à Lusa por meios telemáticos, quando questionado sobre o acesso à rede interbancária nacional.

O executivo da empresa de serviços financeiros eletrónicos acrescentou que "as conversas decorrem há quase um ano", esperando resolver o assunto "brevemente", uma vez que segundo o responsável a falta de acesso à rede da SIBS coloca a Revolut "em desvantagem comparando com os bancos locais".

"Mesmo sem acesso à rede local, somos a 'fintech' [empresa tecnológica financeira] número um em Portugal e temos mais de 600 mil clientes aí, o que é [um número] bastante grande", acrescentou Nikolay Storonsky.

A Revolut, que tem um centro de trabalho em Matosinhos, no distrito do Porto, "continua a contratar à medida que o negócio cresce", disse o responsável da empresa à Lusa.

Questionado acerca das perspetivas para este ano depois dos prejuízos de 118,2 milhões de euros em 2019, o empresário manifestou otimismo, mesmo num ano marcado pela pandemia de covid-19.

"Estamos muito melhores comparando com o ano passado, em termos de receitas", disse 'Nik' Storonsky, salientando que em novembro a empresa "deu lucro", numa base de "mês a mês", estando "muito melhor nas margens brutas".

O executivo criticou ainda a perceção de que as 'fintech' não são reguladas, uma vez que no seu entendimento "sabem que têm de obedecer às mesmas regras que os bancos" a partir do momento em que têm licenças.

Sobre este assunto, o empresário nascido na Rússia e com nacionalidade britânica revelou que os clientes portugueses da Revolut vão continuar, "por agora", sob a alçada bancária da Lituânia, onde a empresa tem licença para operar dinheiro eletrónico.

Além de licença no país báltico, a Revolut terá uma licença irlandesa - jurisdição para a qual poderão migrar alguns países no futuro, disse - e outra no Reino Unido, algo influenciado pela saída britânica da União Europeia ('Brexit'), situação para a qual Storonsky assegura que a Revolut "está completamente preparada", sem causar impacto nos clientes.

Nikolay Storonsky afirmou ainda que em 2021 "é completamente fazível" que a Revolut possa permitir aos seus clientes "levantar criptomoedas das suas contas".

A Lusa questionou ainda o executivo acerca das práticas laborais da empresa, dado que durante o ano surgiram relatos de alegadas irregularidades, tendo um artigo do jornal 'online' Observador exposto relatos de alguns ex-funcionários da empresa, em Matosinhos, abordando, entre outras, situações de desgaste psicológico severo.

Questionado pela Lusa acerca do tema, Nikolay Storonsky, que já reconheceu a necessidade de melhorar as práticas laborais da empresa, disse que os objetivos que os empregados devem atingir "são realistas e a maioria absoluta" dos funcionários "é capaz" de os atingir.

O responsável reconheceu, no entanto, que dada a necessidade da empresa se mover "mais rápido que os bancos", isso pode colocar "um pouco de pressão extra sobre as pessoas".

Nikolay Storonsky disse ainda que a Revolut nunca recebeu nenhuma entidade de inspeção de condições de trabalho, e que as situações são investigadas internamente pelo departamento de pessoal, que "toma medidas" caso seja necessário.

"Nós abordamos, aprendemos e mudamos", disse 'Nik' Storonsky à Lusa, acrescentando que "num ambiente de crescimento rápido, as empresas e as pessoas cometem erros, mas logo que tenham 'feedback' sobre os erros, as pessoas mudam".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório