Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2019
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 17º

Edição

Wall Street acaba semana com recordes dos índices mais emblemáticos

A bolsa nova-iorquina encerrou na sexta-feira em alta, com os seus índices emblemáticos a fecharem em níveis inéditos, com os investidores entusiasmados face às perspetivas de um acordo comercial entre Washington e Pequim.

Wall Street acaba semana com recordes dos índices mais emblemáticos
Notícias ao Minuto

06:05 - 16/11/19 por Lusa

Economia Mercado

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average ganhou 0,80%, para os 28.004,89 pontos.

Ao fechar a semana, com um ganho de 1,2%, este índice registou a sua quarta progressão semanal consecutiva.

Da mesma forma, o tecnológico Nasdaq subiu 0,73%, para as 8.540,83 unidades, e o alargado S&P500 avançou 0,77%, para as 3.120,46.

Aquele valorizou 0,8% na semana, o que constituiu o seu sétimo ganho semanal consecutivo, ao passo que o alargado registou a sexta semana consecutiva a fechar em alta, no caso de 0,9%.

Depois de várias sessões sem grande entusiasmo por parte dos investidores, os índices repartiram hoje em alta depois de comentários considerados encorajadores do conselheiro económico da Casa Branca, Larry Kudlow, que disse na noite de quinta-feira que as discussões (comerciais com a China) estavam na reta final.

Hoje deixou entender que um acordo comercial entre as duas principais economias mundiais possa ser assinado pelos ministros dos dois governos, enquanto o Presidente dos EUA, Donald Trump, tem falado até agora de uma assinatura com o seu homólogo chinês.

"Não obstante, há muitas hesitações sobre o assunto e ainda há apenas alguns dias parecia que o tom das negociações era mais negativo" do que positivo, sublinhou Bill Lynch, da Hinsdale Associates.

"Mas, na ausência de notícias económicas significativas, ou de importantes resultados de empresas, os investidores reagiram positivamente sobretudo à eventualidade de se aproximar um acordo comercial", entre chineses e norte-americanos, acrescentou.

De momento, as duas partes manifestam dificuldade em se porem de acordo sobre o levantamento dos direitos alfandegários suplementares aplicados por Washington a centenas de milhares de milhões de dólares de importações provenientes da China.

Pequim exige a sua supressão como condição para a assinatura de um tratado.

Mas o chefe do Departamento do Comércio norte-americano, Wilbur Ross realçou na sexta-feira que Washington não tinha dado o seu acordo para esta supressão.

As ações das empresas multinacionais que são particularmente sensíveis aos sobressaltos das discussões sino-norte-americanas beneficiaram com, por exemplo, a Caterpillar a ganhar 1,33%, a Boeing 1,10% e a Apple 1,19%.

Já os indicadores norte-americanos do dia mostraram uma economia em meias-tintas.

As vendas no comércio retalhista aumentaram 0,3% em outubro, depois do recuo surpreendente no mês anterior, o que esteve acima das previsões dos analistas.

Ao contrário, a progressão da atividade industrial na região de Nova Iorque diminuiu em novembro, depois de uma subida surpreendente no mês anterior.

RN // SR

Lusa/Fim

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório