Meteorologia

  • 26 MARçO 2019
Tempo
22º
MIN 21º MÁX 23º

Edição

Livro de Reclamações Eletrónico com mais de 80 mil queixas desde 2017

O Livro de Reclamações Eletrónico, lançado em 01 de julho de 2017, recolheu um total de 80.473 reclamações e a maior parte (69,1%) foram encaminhadas para a ANACOM, a entidade reguladora das comunicações.

Livro de Reclamações Eletrónico com mais de 80 mil queixas desde 2017
Notícias ao Minuto

10:34 - 15/03/19 por Lusa

Economia Ministério

Dados divulgados hoje pelo Ministério da Economia, a propósito do Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, mostram que as águas e resíduos, as comunicações eletrónicas e postais, os serviços de eletricidade e de gás e o comércio a retalho são os setores que concentram o maior número de queixas que chegaram ao Livro de reclamações Eletrónico (LRE).

Nas comunicações eletrónicas e postais, 49,3% das reclamações visaram os serviços em pacote e 19% os serviços postais de envio de encomendas, sendo que os problemas relacionados com contratos estiveram na origem de 29,2% das queixas, enquanto a avarias do serviço, os cancelamentos do serviço e a faturação impulsionaram 23,2%, 19,4% e 13% das reclamações, respetivamente.

No caso da eletricidade e do gás natural, a faturação motivou 54,6% das reclamações, enquanto na água, a qualidade foi o principal motivo (34,3%).

O número de entidades com Livro de Reclamações Eletrónico tem vindo a aumentar, contando atualmente com a adesão de mais de uma dezena de entidades reguladoras. De acordo com a informação disponibilizada pelo secretário de Estado da Defesa do Consumidor, estima-se que durante o mês de março a PSP e a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) adiram ao LRE.

Entre abril e maio é esperada a adesão das autoridades que supervisionam os serviços financeiros. Já a Entidade Reguladora da Saúde e da Ordem dos Médicos Veterinários são esperadas em maio.

Relativamente ao Livro de Reclamações físico, o número de reclamações recolhidas ao longo de 2018 ascendeu a 377.851 o que reflete um crescimento de 7,8% face a 2017.

Apesar de 97,9% dos consumidores saberem que o Livro de Reclamações é obrigatório, 7 em cada 10 pessoas desconhecem que o Livro também está disponível online, segundo revela um estudo sobre política de defesa do consumidor que hoje foi apresentado em Lisboa.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório