Meteorologia

  • 18 DEZEMBRO 2018
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 14º

Edição

Caso Huawei provoca quedas acentuadas em Wall Street

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em forte baixa, com os investidores a cederem perante o caso Huawei, que ameaça criar uma crise aberta entre Washington e Pequim, que já estão sob tensão devido às disputas comerciais.

Caso Huawei provoca quedas acentuadas em Wall Street
Notícias ao Minuto

22:49 - 07/12/18 por Lusa

Economia Bolsa

Os resultados provisórios da sessão indicam que o seletivo Dow Jones Industrial Average perdeu 2,24%, para os 24.388,95 pontos.

Da mesma forma, o tecnológico Nasdaq desvalorizou 3,05%, para as 6.969,25 unidades, ao passo que o alargado S&P500 cedeu 2,33%, para as 2.633,08.

Os três índices viveram a sua pior semana desde março, com o Dow Jones a perder 4,50%, o Nasdaq a recuar 4,93% e o S&P500 a desvalorizar 4,61%.

"Os investidores estão totalmente confusos" a propósito do caso Huawei, que corre na justiça norte-americana e ameaça as relações sino-norte-americanas, comentou Tom Cahill, da Ventura Wealth Management.

A diretora financeira, vice-presidente e filha do fundador do grupo chinês, detida no sábado no Canadá a pedido dos Estados Unidos da América, é acusada de fraude" pela justiça norte-americana, soube-se hoje durante a sua comparência perante um juiz em Vancouver, Canadá.

Meng Wanzhou é suspeita de ter mentido sobre uma filial da Huawei, para poder aceder ao mercado iraniano, violando as sanções norte-americanas, segundo os documentos lidos durante a audiência, que acabou com a determinação da liberdade condicional.

Este caso acontece no pior momento para a relação entre chineses e norte-americanos, condicionada pelas muito difíceis negociações comerciais, em plena trégua de 90 dias determinada pelos dirigentes das duas potências.

Neste contexto de tensão, as afirmações do conselheiro de Donald Trump para o comércio e a indústria, Peter Navarro, durante uma entrevista à estação televisiva CNN, concedida hoje, aumentaram o nervosismo dos investidores.

"Este 'falcão' lembrou a todos que o Presidente ia aumentar as tarifas aduaneiras em 25% sobre 200 mil milhões de dólares de bens [chineses importados], se as discussões não acabarem até ao fim dos 90 dias da trégua", realçaram os analistas da Briefing.

A quase totalidade dos 11 subsetores em que se divide o S&P500 sofreram com este fim de semana complicado, conseguindo limitar perdas graças à recuperação do preço do petróleo.

A sessão foi também marcada pela publicação de um relatório mensal sobre o emprego nos EUA, que mostrou uma criação de emprego menos forte do que antecipado.

Mas o documento foi acolhido pelos investidores de forma neutra, porque "foi suficientemente bom para manter perspetivas de crescimento decentes, mas não suficientemente bom para justificar uma ação vigorosa da Reserva Federal" nas taxas, afirmou Chris Low, da FTN Financial.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório