Meteorologia

  • 11 DEZEMBRO 2018
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 11º

Edição

Voo direto é "completamente indispensável" para fomento das relações

O voo direto entre Portugal e a China é "completamente indispensável" para incrementar as relações entre os dois países, considerou o embaixador português em Pequim, nas vésperas da visita do Presidente chinês a Lisboa.

Voo direto é "completamente indispensável" para fomento das relações
Notícias ao Minuto

09:00 - 30/11/18 por Lusa

Economia embaixador

"Do nosso ponto de vista, a ligação aérea é complemente indispensável para a conectividade, oportunamente lançada aqui na China", com a iniciativa 'um cinturão, uma rota', afirmou José Augusto Duarte, à agência Lusa.

A Capital Airlines suspendeu, em outubro passado, o voo direto entre Hangzhou, na costa leste da China, e Lisboa, com paragem em Pequim, lançado a 26 de julho de 2017, com três frequências por semana.

Fontes da companhia aérea revelaram à Lusa que o voo não gerava rendimento que justificasse a sua manutenção.

A empresa pediu, entretanto, autorização às autoridades chinesas para iniciar um voo direto entre Xi'an, noroeste da China, e Lisboa, alegando menores custos e que a maior parte dos passageiros que voam para Portugal são oriundos daquela parte da China.

Com cerca de 12 milhões de habitantes, Xi'an é a capital da província de Shaanxi, a cerca de mil quilómetros de Pequim.

Portugal deseja, no entanto, manter um voo direto para a capital chinesa.

"Não temos nada a objetar, evidentemente, a que haja outras ligações aéreas, e quanto mais melhor, mas a ligação Pequim - Lisboa é muito importante, e esses foram os termos da iniciativa em que resultou o lançamento do voo", afirmou, em outubro passado, o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, durante uma visita à China.

Em entrevista à agência Lusa, o embaixador português em Pequim revelou que tem mantido contactos "muito intensos" com a Capital Airlines, "outras companhias aéreas e as autoridades chinesas", para "ultrapassar esta questão".

"Nos dias de hoje, é muito importante a conectividade terrestre e marítima, como no passado, mas a humanidade avançou e passamos a ter conectividade aérea, que no tempo da Rota da Seda não havia, e as tecnologias estão aí para serem usadas e fazerem as ligações entre os povos, e fomentarem a relação comercial", disse Augusto Duarte, reafirmando que o voo direto é "extremamente importante".

No lançamento da ligação aérea, o primeiro-ministro português, António Costa, disse esperar que os voos diretos Lisboa-Pequim fossem um reforço de Portugal como "grande 'hub' intercontinental" (centro de operações).

A afirmação de António Costa foi feita durante a cerimónia de inauguração dos voos diretos, com a presença do então presidente do parlamento chinês, Zhang Dejiang, em visita a Portugal. Para António Costa, a abertura da rota Lisboa-Pequim tem um "enorme simbolismo" e "é a nova rota da seda do século XXI".

Lançada em 2013, por Xi Jinping, o projeto de infraestruturas internacional 'um cinturão, uma rota' ou 'nova rota da seda', inclui a construção de portos, aeroportos, autoestradas, centrais elétricas ou malhas ferroviárias ao longo da Europa, Ásia Central, África e sudeste asiático.

A iniciativa é vista como uma versão chinesa do 'Plano Marshall', lançado pelos Estados Unidos, após a Segunda Guerra Mundial, e que permitiram a Washington criar a fundação de alianças diplomáticas e militares que perduram até hoje.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório