Meteorologia

  • 26 MAIO 2019
Tempo
21º
MIN 19º MÁX 24º

Edição

Benfica - Não perca os últimos golos e lances polémicos

Mais vídeos

Bruno Lage: os segredos da caminhada, a estratégia e o futuro de Jonas

Treinador do Benfica fez a antevisão do encontro com o Santa Clara, agendado para este sábado, que pode dar o título.

Bruno Lage: os segredos da caminhada, a estratégia e o futuro de Jonas
Notícias ao Minuto

14:05 - 17/05/19 por Notícias ao Minuto 

Desporto Benfica

O dia que todos os benfiquistas esperaram está quase a chegar. Este sábado, os encarnados podem alcançar a tão ambicionada 'Reconquista', naquela que será a última jornada do campeonato.

Para o conseguirem, as águias terão que pontuar na receção ao Santa Clara.

Esta sexta-feira, a partir das 13h30, Bruno Lage fez a antevisão da partida.

Antevisão: "Vamos encontrar um adversário muito competente, que fez um campeonato muito bom, com uma manutenção histórica acima dos 40 pontos e com prestações muito interessantes frente a Sporting, FC Porto e Sp. Braga. É um adversário que sabe fechar os caminhos da sua baliza, mas que quando tem bola também sabe o que fazer. Gosta de sair curto, de jogar para atrair e criar oportunidades de perigo. Perspetivamos um jogo difícil e como tal precisamos de estar no nosso melhor para vencer esta última 'final'.

Apoio dos adeptos: "Temos passado tempo a preparar os jogos e muita coisa tem-nos passado ao lado. São muitas horas de trabalho para nos focarmos naquilo que controlamos. E isso é preparar-nos da melhor maneira para vencer os jogos. Isso é que nos tem preocupado."

Imagens dos adeptos nos festejos do último campeonato: "Por acaso não vi essas imagens porque também estava a preparar, enquanto adjunto do Sheffield Wednesday, a nossa final que foi em Wembley. Por isso, não me imagino a fazer nada. O que imagino é preparar o jogo da melhor maneira, preparar a equipa para que esteja focada e concentrada. Esse foi o nosso caminho desde o primeiro dia. Temos encarado cada jogo como uma final, este é mais uma e é nesse sentido que temos que entrar em campo."

Falta-lhe o título para ser um treinador feito: "Os títulos fazem parte do nosso percurso e aquele que eu tenho são quatro: dois de escolinhas, sub-11, e outros dois de iniciados e juvenis. Isso é que é olhar para trás. Há imensos treinadores que não têm títulos e olhamos para trabalhos fantásticos que têm feito. Um está em Inglaterra, o Nuno, e tem um trabalho fantástico pelo 'Wolves', fez uma subida do Championship e agora um 6.º lugar na Premier League, e é um treinador de créditos confirmados. Independentemente dos títulos, o que importa é o caminho que se vai construindo e a forma de jogar. Nós vamos jogar contra um treinador que tem feito isso. Curiosamente, o ano passado vi que os dois treinadores que tinham descido de divisão tiveram oportunidade de continuar na Primeira Liga e veja o trabalho de um e de outro. Um teve uma participação muito boa, com um 5.º lugar fantástico, e outro com uma manutenção brilhante, o Santa Clara, acima dos 40 pontos."

A final mais especial: "Prepara-se tudo da mesma maneira. Nós desde que chegámos que sabíamos que não podíamos perder mais pontos, não podíamos falhar. E todos os jogos tem sido nessa intenção. Olhamos um pouco para o nosso adversário, preparamos a nossa estratégia e entramos no jogo assim. Todos os jogos têm sido nesse sentido. Não há espaço para perder pontos e isso só se consegue se tivermos concentrados no nosso trabalho. Tem sido a nossa maneira de estar, com a maior naturalidade e equilíbrio."

O que lhe foi pedido na altura da oficialização: "Eu acho que não me foi pedido nada... Na situação em que nós estávamos, tínhamos que preparar e fazer o possível. A questão tinha que ser por fases. A primeira era começar a jogar bom futebol e a vencer jogos para reconquistar os adeptos. Eu penso que a partir do quarto, quinto ou sexto jogo passámos a sentir isso. As pessoas iam ver o tipo de Benfica que se ia apresentar num futuro próximo. E ali em determinada altura as coisas começaram a ligar-se. Começou a notar-se mais uma apoio enorme em casa, fora de casa, às chegadas ao hotel e nós fomos sentido isso. Depois, foi agir com naturalidade e as coisas foram acontecendo. Fomos vivendo o dia a dia, jogando jogo a jogo, até chegarmos a esta situação."

Tipo de jogo do Santa Clara: "Eu acho que o Santa Clara é uma equipa com uma bom jogo e isso é trabalho do seu treinador. É uma equipa consistente, que tem apresentado bons resultados. Em termos de jogo jogado, fez duas boas exibições frente ao FC Porto e ao Sporting. Acredita que vá apresentar amanhã o seu registo, que é uma equipa equilibrada, que sabe defender e que quando tem bola cria perigo. Espero uma equipa competente."

Que jogadores gostava de dar o prémio de serem campeões: "Nós vivemos o dia a dia. As coisas têm que ir acontecendo naturalmente. Não penso nisso. O que penso é naqueles que acho que são os melhores para lançar. Depois temos as mais variadas alternativas pensadas para podermos mexer no jogo. Isso é que está preparado e pensado. Temos que entrar em campo de terminados para conquistar os três pontos."

Justiça do título: "Isso não é importante. O que é importante é haver a justiça do reconhecimento do que temos vindo a fazer. Claro que queremos vencer, temos uma oportunidade fantástica para o conseguir, mas o importante é haver o reconhecimento de todo o trabalho. Isso é que é gratificante."

Vertente emocional dos jogadores: "O Estádio da Luz tem estado cheio nos últimos jogos ou até na época toda. Sabemos que tudo termina amanhã e temos que estar concentrados no nosso trabalho. Preparámos a semana da mesma maneira: o primeiro dia folga, o primeiro dia de trabalho vimos o que fizemos no Rio Ave, dois ou três aspetos que não correram tão bem, reforçámos os que correram bem, trabalhámos um ou outro que achamos que devemos trabalhar, trabalhámos um ou outro aspeto da estratégia para amanhã... Portanto, foi uma semana normal e estamos preparados para fazer um grande jogo. Espero que os nossos adeptos também estejam preparados para 90 minutos de intenso futebol e apoio em cima dos nossos jogadores. É isso que eles precisam."

Futuro de Jonas: "A conversa em Vila do Conde foi entre nós os dois. Eu nunca ouvi o Jonas dizer que amanhã seria o último jogo, a mim nunca o disse, nunca vi dizê-lo a ninguém e da maneira que o vi treinar hoje nada me leva a crer isso. Será uma decisão que ele irá tomar à frente ou não, mas não tenho sentido da parte do jogador que possa terminar a carreira amanhã."

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório