Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2017
Tempo
20º
MIN 19º MÁX 20º

Edição

Feira Medieval de Silves arranca amanhã e dá a conhecer o poeta Ibn Ammar

A 14.ª edição da Feira Medieval de Silves, no Algarve, começa sexta-feira e proporcionará aos visitantes 10 dias de recriação histórica dessa época, dando a conhecer o poeta árabe Ibn Ammar, disse a presidente da autarquia.

Feira Medieval de Silves arranca amanhã e dá a conhecer o poeta Ibn Ammar
Notícias ao Minuto

13:49 - 10/08/17 por Lusa

Cultura 14.ª edição

Rosa Palma antecipou à agência Lusa a feira medieval, que termina a 20 de agosto e que irá "dar a conhecer Ibn Amar, que foi um poeta, mas foi também um responsável por esta cidade de Silves em termos políticos", realçou a autarca, referindo-se a essa figura do século XI, no tempo da ocupação árabe do que hoje é o Algarve.

"Como a nossa feira medieval de Silves se distingue das outras feiras precisamente porque pretendemos dar uma recriação histórica verídica a todo o nosso espaço do quotidiano do dia a dia, então as vivências que vamos ter são efetivamente retratos verdadeiros do que foi a época", assegurou a presidente da Câmara algarvia, uma das 16 do distrito de Faro.

A autarca adiantou que "cada dia é diferente do outro" e os visitantes vão poder contar com "muita animação, pessoas trajadas a rigor, manjares incríveis", assim como "dois espetáculos, um torneio medieval e uma recriação adequada ao tema" desta edição, cujo palco será o castelo local e que "foi criada de propósito" para a feira em Silves.

"Por isso convidamos todos a estar presentes", sugeriu Rosa Palma, reconhecendo que o evento é um marco importante para a economia do município, porque "envolve não só o comércio local, mas também todas as coletividades do concelho", sendo "sem dúvida um marco essencialmente económico para estes comerciantes".

A presidente da Câmara de Silves reconheceu que, sem estes eventos, é difícil que os muitos visitantes do Algarve deixem o litoral e a feira medieval tem também como objetivo puxar visitantes para a cidade, que se localiza mais no interior.

"E permite que as pessoas nos queiram visitar e voltem todos os anos, porque há pessoas que repetem todos os anos a feira medieval", acrescentou.

A mesma estimou que, nos 10 dias do evento, possa ser ultrapassado ou, pelo menos, igualado o número de visitantes que estiveram na feira no ano passado e que quantificou em cerca de 130 mil.

Rosa Palma destacou ainda as preocupações ecológicas que a autarquia tem com o evento, ao colocar locais de recolha seletiva de resíduos pela cidade.

"Este é o terceiro ano em ECOevento, para que haja aqui uma certa sensibilidade ambiental, apesar de estarmos na época medieval. E apelamos à parte da educação ambiental, que tem sido uma prática muito boa e que envolve as pessoas na iniciativa", congratulou-se a autarca, sublinhando que estes resíduos são depois recolhidos pelos funcionários do município.

Rosa Palma frisou que o evento "envolve todos os operacionais e é todo ele feito pela própria câmara", que investe cerca de 250.000 euros na iniciativa.

"É um investimento suportado pela autarquia, mas é um investimento, não é um gasto, porque se pretende envolver todas as coletividades e as pessoas que nos visitam vêm depois cá a tentar vivenciar de outra forma aquilo que temos na nossa cidade, porque todas as nossas ruelas e a própria malha urbana têm características únicas que envolvem as pessoas, mesmo sem ter as ruas caracterizadas como vamos ter na feira medieval", justificou.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório