Meteorologia

  • 07 OUTUBRO 2022
Tempo
19º
MIN 15º MÁX 30º

Cibertaques em 2022 já roubaram 1,86 mil milhões de euros em criptomoedas

Especialistas apontam que “o software é a única coisa a manter estes ativos seguros”.

Cibertaques em 2022 já roubaram 1,86 mil milhões de euros em criptomoedas

Uma análise da empresa especializada em ‘blockchain’ Chainalysis indica que, desde o início de 2022, já foram roubados o equivalente a 1,9 mil milhões de dólares (1,86 mil milhões de euros) em criptomoedas por via de ataques informáticos.

Diz a CNN que este ‘pico’ se deve aos protocolos de finança descentralizada (DeFi), os quais permitem aos detentores de criptomoedas realizarem transações entre si de uma forma mais direta - sem qualquer entidade financeira a agir como intermediária. O relatório aponta que grande parte destes ciberataques foram realizados por ‘hackers’ associados à Coreia do Norte.

Apesar de serem altamente populares entre os detentores de criptomoedas, os procolos DeFi baseados na tecnologia de ‘blockchain’ Ethereum são considerados “excecionalmente vulneráveis a ‘hackers’” devido ao facto de o respetivo código ser ‘open source’.

“De forma geral, a tecnologia é relativamente imatura. Este espaço só emergiu nos últimos anos. Estão a ser cometidos erros, erros com os quais estamos a aprender, mas há sempre ‘bugs’ no software. Penso que o problema aqui é que o software é a única coisa a manter estes ativos seguros”, afirmou um dos responsáveis pela empresa de análise de ‘blockchain’ Elliptic, Tom Robinson.

Leia Também: China encerra 12 mil contas nas redes sociais que promoviam criptomoedas

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório