Meteorologia

  • 28 MAIO 2024
Tempo
18º
MIN 14º MÁX 28º

IRS? "Não queremos ouvir falar em 'choque fiscal' para encher parangonas"

A líder do PAN, Inês Sousa Real, considerou que era precisa mais ambição no que diz respeito a medidas fiscais e não revelou se iria ou não viabilizar o diploma relativo ao IRS - precisando agora de o analisar.

IRS? "Não queremos ouvir falar em 'choque fiscal' para encher parangonas"
Notícias ao Minuto

15:22 - 19/04/24 por Notícias ao Minuto

Política IRS

A porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, reagiu, esta sexta-feira, às medidas do Governo, considerando que era precisa mais ambição e ir além das medidas no IRS.

"É preciso que haja mais ambição neste pacote fiscal. Esta reforma tem de se traduzir num verdadeiro programa de emergência fiscal", afirmou, em declarações aos jornalistas, no Parlamento, em Lisboa.

Sousa Real apontou ainda que para essa reforma acontecer o partido que lidera já apresentou um conjunto de medidas ao primeiro-ministro. "Esperamos que haja abertura por parte de Luís Montenegro e também da bancada parlamentar do Partido Social Democrata para acompanharem e viabilizarem", apontou.

A porta-voz do PAN saudou a medida de revisão das taxas do IRS, mas apontou que é preciso ir mais além. "É preciso que haja justiça fiscal no sentido de rever e atualizar os escalões à taxa da inflação", afirmou, defendendo que entre 2021 e 2023 o anterior "Governo beneficiou de um 'jackpot' fiscal por conta da inflação. É da mais elementar justiça que se devolva esse dinheiro aos portugueses", considerou.

Questionada sobre se o que foi anunciado era significativo para quem recebia entre mil e 1.500 mensais, Sousa Real reforçou que era precisa "mais ambição", seja para quem ganha o salário mínimo ou médio, que considerou ser o "grande problema" em Portugal. "Quem ganha o salário médio em Portugal não tem sido beneficiado pelas medidas fiscais. Com esta revisão, temos de garantir que atingimos esses contribuintes", referiu.

Sousa Real apontou ainda que o partido quer que este 'choque' vá além do IRS, em situações como, por exemplo, o IVA. "Em particular da alimentação, serviços médico-veterinários e também da alimentação dos animais de companhia", lembrou.

Sousa Real foi ainda questionada sobre se viabilizaria o diploma de hoje, explicando que era preciso fazer uma análise, e rejeitando dar por agora uma resposta. "Queremos mais ambição. Não queremos ouvir falar em 'choque fiscal' para encher parangonas. Queremos garantir que conseguimos uma solução na Assembleia da República", afirmou.

O Conselho de Ministros aprovou, esta sexta-feira, a proposta que reduz as taxas do IRS até ao 8.º escalão, anunciou o primeiro-ministro, Luís Montenegro, indicando que a medida perfaz um total de redução do imposto de 1.539 milhões de euros face a 2023.

Leia Também: Qual o impacto da proposta do IRS na sua carteira? Veja as simulações

Recomendados para si

;
Campo obrigatório