Meteorologia

  • 16 OUTUBRO 2021
Tempo
18º
MIN 15º MÁX 27º

Edição

Coligação PSD/CDS-PP de Viana do Castelo quer devolver IRS aos munícipes

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP à presidência da Câmara de Viana do Castelo quer devolver o poder de compra aos cidadãos restituindo os 5% do IRS e isentar de derrama as empresas instaladas no concelho.

 Coligação PSD/CDS-PP de Viana do Castelo quer devolver IRS aos munícipes
Notícias ao Minuto

10:08 - 21/09/21 por Lusa

Política Autárquicas

"Assumimos que eliminaremos os 5% do IRS, devolvendo esse dinheiro aos cidadãos, e assumimos a redução do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a isenção da derrama municipal cobrada às empresas", afirmou hoje à agência Lusa Eduardo Teixeira.

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP lamentou que Viana do Castelo seja "das cidades mais caras do país para se viver".

"Se estivéssemos no concelho de Lisboa pagaríamos 2,5%[IRS]. Se estivéssemos em Ponte de Lima pagávamos zero. Viana do Castelo tem a taxação máxima permitida por lei sobre os cidadãos, o que faz com que 5% seja uma penalização no poder de compra", sustentou o economista, de 49 anos.

Segundo Eduardo Teixeira, que é também deputado do PSD na Assembleia da República, "um cidadão de Lisboa, capital de Portugal, paga menos e tem tudo".

"Viana do Castelo tem problemas nos transportes, no estacionamento, na mobilidade. Viana do Castelo tem inúmeras questões por resolver e um cidadão de Viana do Castelo não pode pagar mais que um cidadão de Lisboa. É injusto", afirmou.

Referiu que, "na última década, Viana do Castelo, foi o concelho que mais perdeu população" e que "cada vianense tem menos poder de compra que um cidadão de Beja, de Braga, de Bragança, de Évora, de Castelo Branco, de Portalegre". 

Eduardo Teixeira adiantou que ao propor prescindir desta receita, a candidatura que lidera "está a dar poder de compra aos cidadãos e a injetar dinheiro na economia local".

Sobre a derrama municipal defendeu a isenção por considerar que "a coleta que incide sobre os lucros penaliza as empresas que, neste momento, estão a passar por inúmeras dificuldades".

"Algumas câmaras do distrito de Viana do Castelo para conseguirem atrair investimento isentam as empresas. E nós também temos de isentar", defendeu.

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP à Câmara Municipal de Viana do Castelo explicou que no concelho "os empresários pagam mais 10% de derrama do que pagam os empresários em Ponte de Lima" e criticou que na capital do Alto Minho se "pague mais IMI do que um cidadão de Ponte de Lima".

Além de Eduardo Teixeira (PSD/CDS-PP), concorrem nas eleições de domingo à presidência da Câmara de Viana do Castelo Luís Nobre (PS), Cláudia Marinho (CDU), Jorge Teixeira (Bloco de Esquerda), Rui Martins (Aliança), Paula Veiga (Nós, Cidadãos!), Maurício Antunes da Silva (Iniciativa Liberal) e Cristina Miranda (Chega).

Nas autárquicas de 2017, o PS conquistou 53,68% dos votos e garantiu seis mandatos. O PSD atingiu os 21,25% (dois mandatos) e a CDU (PCP/PEV) alcançou 8,11% (um eleito).

Leia Também: Rosas avisa PS, o "partido da bazuca", que tem que negociar se quer OE

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório