Meteorologia

  • 27 OUTUBRO 2020
Tempo
18º
MIN 11º MÁX 19º

Edição

PSD/Gaia quer cancelamento de concertos, maioria PS garante segurança

O PSD de Vila Nova de Gaia criticou hoje o programa "Noites de Verão" anunciado pela maioria PS e que inclui concertos no estádio da Lavandeira, mas o presidente do executivo garantiu que serão cumpridas regras.

PSD/Gaia quer cancelamento de concertos, maioria PS garante segurança
Notícias ao Minuto

19:42 - 15/06/20 por Lusa

Política Verão

Numa intervenção no período antes da ordem do dia, o vereador social-democrata Cancela Moura começou por lembrar que "há mais de 100 dias que o país, a Europa e o mundo se confrontam com um dos períodos mais difíceis e sombrios da História Moderna", referindo-se à pandemia da covid-19, para depois exigir o cancelamento do "Noites de Verão em Gaia".

Mas, em resposta, o presidente da câmara de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, garantiu que estão a ser acauteladas todas as medidas de segurança no evento e que este pretende "dar esperança às pessoas", pedindo ao PSD que "não enverede pelo discurso de medo".

Em causa está um programa anunciado para de 10 de julho a 01 de agosto com artistas nacionais como Mariza, Xutos e Pontapés, Pedro Abrunhosa, Miguel Araújo, Carolina Deslandes, Ana Moura, José Cid e Herman José.

No ´site' da câmara de Gaia lê-se que o "Noites de Verão" pretende ser um "ponto de viragem desta nova fase de desconfinamento", levando à cidade "cultura através da música".

"O ?Noites de Verão em Gaia' foi pensado pelo município tendo em conta o cumprimento de todas as normas preconizadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O Estádio Municipal da Lavandeira - local escolhido para acolher este evento - será delimitado, os lugares serão previamente identificados por cadeiras e respetivas marcações, cumprindo um distanciamento mínimo de 1,5 metros entre espetadores. A entrada e a saída do público terão circuitos próprios e haverá sinalização e marcas físicas no chão para que não existam filas e se cumpram dois metros entre as pessoas", é descrito no anúncio da câmara.

No entanto o PSD falou em "surpresa geral", questionando: "Será compreensível e aceitável que a câmara, em pleno Estado de Calamidade, se contrarie a si própria e contradiga o que o Governo decretou, violando as regras legais e sanitárias vigentes, para enfiar milhares de pessoas dentro de um estádio, por muito que se anuncie que serão respeitadas todas as regras e as medidas impostas pelas autoridades?".

Os sociais-democratas também querem saber se a DGS já se pronunciou especificamente sobre o "Noites de Verão", apontando que "nunca seria compreensível, nem aceitável que se procurasse realizar, com esta iniciativa, uma espécie de edição confinada do festival Marés Vivas, com a mediação, o patrocínio e a contraditória deriva de tudo quanto o presidente da câmara andou a apregoar nos últimos 100 dias".

"O que se pede, pois, no mínimo, à câmara e ao seu presidente, é a suspensão imediata das anunciadas 'Noites de Verão', e respetiva publicidade, num último assomo de responsabilidade e respeito pelos gaienses, sobretudo pelos que viveram e vivem de forma angustiante esta crise sanitária, económica e social e pelos que, com seriedade e a todo o custo, a tentam contrariar, por forma a que todos possamos regressar, de pleno direito, não a um novo normal mas, sim, a uma vida normal", disse Cancela Moura.

Em resposta, Eduardo Vítor Rodrigues apontou que "não são milhares de pessoas, mas sim 900 todos sentados em cadeiras e com as devidas regras", tendo pedido ao PSD que "não lance o pânico, o medo e a intriga".

"Não podemos fazer o discurso provinciano de que em Lisboa se pode, como aconteceu no Campo Pequeno, mas o resto do país tem de estar fechado. Lá sim estavam milhares de pessoas. O que as autoridades de saúde proíbem não é eventos com regras, eventos que dão esperança às pessoas, às pessoas que a maioria delas não tem dinheiro para férias num hotel de luxo no Algarve, o que proíbem é a bagunça", disse o presidente socialista.

Eduardo Vítor Rodrigues apontou que "tal como as praias terão pessoas com ordem e regras", o "Noites de Verão e Gaia" será um evento "seguro, tranquilo e barato".

"Percebo que tentem fechar a cidade para que se esqueçam dela. Mas a cidade no se vai fechar e deixar de projetar a reboque da covid. Estejam descansados: não somos menos que Lisboa e faremos as coisas de forma responsável", disse o autarca.

Portugal contabiliza pelo menos 1.520 mortos associados à covid-19 em 37.036 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), o qual indica que em Vila Nova de Gaia se registam 1.600 casos de infeção pelo novo coronavírus.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório