Meteorologia

  • 06 JUNHO 2020
Tempo
25º
MIN 17º MÁX 25º

Edição

PSD quer ouvir ministra do Trabalho e Segurança Social na AR com urgência

O PSD requereu hoje a audição no parlamento, "com caráter de urgência", da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social para que esclareça as respostas que o Governo prevê dar aos estratos mais vulneráveis da sociedade face à covid-19.

PSD quer ouvir ministra do Trabalho e Segurança Social na AR com urgência
Notícias ao Minuto

13:25 - 02/04/20 por Lusa

Política Covid-19

particularmente relevante que o Governo informe a Assembleia da República da resposta que está a desenvolver para proteger os idosos, a estratégia que estará a desenvolver para garantir que as equipas de RSI [Rendimento Social de Inserção] acompanhem os beneficiários dessa prestação social, assim como as resposta do Governo para garantir que as crianças e jovens em risco não ficam numa situação vulnerável e que as pessoas em situação de sem abrigo não fiquem abandonadas à sua sorte", refere o PSD.

No pedido de audição, endereçado à Comissão de Trabalho e Segurança Social, os deputados sociais-democratas Clara Marques Mendes e Pedro Rodrigues indicam que a "pandemia do Covid-19 tem colocado o país em sobressalto e deixado os portugueses mergulhados numa profunda ansiedade" quanto ao futuro.

Apontando que "a ansiedade aumenta em função da situação de desproteção social em que se encontram os cidadãos", o grupo parlamentar do PSD assinala que é "com particular preocupação" que "acompanha a situação não só das pessoas em situação de sem abrigo, como dos idosos, das crianças e jovens em risco, bem como dos beneficiários do RSI".

O PSD quer, então, chamar à Assembleia da República, "com caráter de urgência", a ministra Ana Mendes Godinho para prestar esclarecimentos sobre as respostas que estão a ser prestadas a estes estratos da sociedade, e salienta que, "num momento especialmente sensível", é "inaceitável que o Estado não assuma as suas plenas responsabilidades face aos cidadãos socialmente mais vulneráveis e desprotegidos".

"As descrições que temos conhecimento deixa-nos profundamente preocupados com os setores mais vulneráveis da nossa sociedade, pelo que se impõe compreender as diversas respostas sociais que o Governo está a desenvolver no sentido de garantir que os setores mais vulneráveis da nossa sociedade não fiquem sem resposta neste momento difícil que enfrentamos enquanto comunidade", salienta o partido.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 940 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 47 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 209 mortes, mais 22 do que na quarta-feira (+11,8%), e 9.034 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 783 em relação à véspera (+9,5%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março, tendo a Assembleia da República aprovado hoje o seu prolongamento até ao final do dia 17 de abril.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório