Meteorologia

  • 14 NOVEMBRO 2019
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Miguel Albuquerque deixa recado: "Só os idiotas mudam para pior"

O cabeça de lista do PSD às eleições legislativas da Madeira, Miguel Albuquerque, voltou esta quarta-feira a pedir uma "maioria significativa", para prosseguir o "continuo desenvolvimento" do arquipélago, e acusou o PS de querer transformar a região "numa Venezuela".

Miguel Albuquerque deixa recado: "Só os idiotas mudam para pior"
Notícias ao Minuto

08:14 - 19/09/19 por Lusa

Política Eleições/Madeira

"O PPD garante estabilidade, desenvolvimento, crescimento económico, empregabilidade, cosmopolitismo, acesso à cultura, acesso à educação, desenvolvimento infraestrutural e tudo aquilo que é fundamental para as novas gerações", afirmou, num comício em Machico, zona leste da Madeira.

O município tem um vasto historial de governação autárquica à esquerda, primeiro com a UDP e depois com PS, partido que lidera agora a câmara.

Falando para algumas centenas de militantes e simpatizantes, Miguel Albuquerque, que se recandidata a um segundo mandato como presidente do executivo, vincou que "não há soluções alternativas".

"Neste momento, o desafio da Madeira é, na verdade, continuarmos, [com] o PPD a governar a nossa terra. Não há soluções alternativas. Esse cavalheiro que diz que quer mudança [Paulo Cafôfo, candidato do PS], é mudança para pior. E como sempre ouvi dizer, só os idiotas mudam para pior", disse.

Albuquerque explicou que mudar para pior é formar um governo com base em "coligações negativas" no parlamento regional, envolvendo comunistas e bloquistas.

"Alguém pensa que seria a Madeira objeto de algum investimento, algum desenvolvimento, com comunistas no poder?", questionou, afirmando logo de seguida que esses partidos "estão loucos para dar cabo da zona franca", apesar de ser "fundamental para as receitas da região" e empregar cerca de 3.000 pessoas.

O candidato social-democrata considerou que a esquerda "parece um polvo" e quer "tomar conta de tudo", acusando também o cabeça de lista do PS de ser uma "barriga de aluguer" do primeiro-ministro, António Costa.

"Acabariam com a nossa economia, acabariam com o investimento e toda a gente ia viver à esmola como se está a passar na Venezuela", disse. E reforçou: "Ninguém quer uma Venezuela na Madeira. Se eles querem uma Venezuela, vão para lá viver".

O comício de Machico, tal como todos os comícios do PSD, foi animado pela atuação de uma banda musical, que realça sempre os ?'logans' de apoio, como "Nós só queremos Miguel a presidente", "Madeira olé", "E quem não salta, não é da jota" e - o mais popular de todos - "Quem é que haverá, quem é que não acha, que o PSD põe a Madeira em marcha".

As eleições regionais legislativas da Madeira, onde os sociais-democratas governam com maioria absoluta, decorrem no domingo, com 16 partidos e uma coligação a disputar os 47 lugares no parlamento regional: PDR, CHEGA, PNR, BE, PS, PAN, Aliança, Partido da Terra-MPT, PCTP/MRPP, PPD/PSD, Iniciativa Liberal, PTP, PURP, CDS-PP, CDU (PCP/PEV), JPP e RIR.

Nas regionais de 2015, os sociais-democratas seguraram a maioria absoluta - com que sempre governaram a Madeira - por um deputado, com 24 dos 47 parlamentares.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório