Meteorologia

  • 10 DEZEMBRO 2018
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 13º

Edição

PSD/Porto pede a Moreira que se concentre "menos no PSD, mais na cidade"

O PSD/Porto apelou hoje ao presidente da câmara Rui Moreira e ao seu movimento para se concentrarem "menos no PSD e mais na cidade", depois de ser acusado de ensaiar um "Bloco Central" para chumbar o orçamento da autarquia.

PSD/Porto pede a Moreira que se concentre "menos no PSD, mais na cidade"
Notícias ao Minuto

15:30 - 15/11/18 por Lusa

Política Movimento

"O PSD Porto (...) vai registando o comportamento dos possíveis interessados num futuro regresso ao Partido Social Democrata mas apela a que o Movimento e Rui Moreira se concentrem menos no PSD e mais na cidade, pois há muito a fazer: há muito lixo para varrer e retirar das ruas, muito trânsito para eliminar e demasiados projetos anunciados por concretizar", defendeu em comunicado o presidente da concelhia, Hugo Neto.

Segundo o social-democrata, é com grande admiração que registam "o constante interesse dos membros do movimento sobre a vida interna e a estratégia do PSD", desconhecendo se este interesse "é por trauma de no passado alguns membros deste Movimento não terem conseguido implementar projetos pessoais neste partido, ou se é por expectativa de no futuro, com o fim próximo do Movimento, poderem regressar".

Na quarta-feira, a associação cívica 'Porto, o Nosso Movimento' criticou o PS e o PSD de "ensaiarem, com a ajuda do BE", um "Bloco Central" na cidade, ao tentarem chumbar o orçamento para 2019 na Assembleia Municipal.

"PS e PSD, com a ajuda do BE, tentaram, pela primeira vez na história autárquica do Porto, chumbar, de mãos dadas, um orçamento. Mas perderam, mesmo com a ajuda do BE, numa estranha coligação negativa que mais parece um balão de ensaio para o país", afirma a associação 'Porto, O Nosso Movimento', do independente Rui Moreira, em comunicado intitulado "Ensaio de 'Bloco Central' no Porto tentou chumbar orçamento mas perdeu".

Para a direção da associação, "os dois partidos do 'Centrão' [PSD e PS], sem darem uma única explicação plausível, tentaram chumbar o principal documento de governação a quem ganhou as eleições: Rui Moreira".

No comunicado, o PSD Porto rejeita estas acusações, explicando que votou contra o orçamento municipal por entender que "este orçamento de continuidade, com aumento brutal da despesa corrente e crescimento da carga fiscal, não assegura, como deveria, o adequado alívio fiscal às famílias da cidade e não é expectável que contribua para a melhoria da qualidade de vida dos portuenses".

Hugo Neto considera mesmo que o documento é "reflexo e espelho de uma governação da cidade" em que os sociais-democratas não se revêm, pelo que "não poderia merecer outra posição que não a sua rejeição".

Na sequência desta posição política do PSD, acrescenta, "a comunicação de Rui Moreira e o seu movimento de apoiantes, reagiram com a habitual estratégia de procurar confundir e enganar os portuenses".

O PSD/Porto, que se afirma como "oposição responsável", lembra que apresentou em julho as suas propostas para o orçamento municipal do próximo ano, propostas estas que "Rui Moreira e os seus apoiantes optaram por não incluir as propostas apresentadas pelo PSD".

"É uma opção legítima. O que não nos parece natural é que depois dessa opção, Rui Moreira e o seu Movimento critiquem o PSD por ser politicamente consequente", afirmou em comunicado onde deixa claro que o "PSD Porto continuará a cumprir com orgulho o papel de oposição, sempre na defesa do Porto e dos portuenses".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório