Meteorologia

  • 18 FEVEREIRO 2018
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 12º

Edição

Marcelo alerta para necessidade de "estratégia a médio e longo prazo"

O Presidente da República alertou hoje para a necessidade de "uma estratégia a médio e longo prazo" e para o risco que representa para o país um sistema político "bloqueado" para "criar consensos e suscitar alternativas".

Marcelo alerta para necessidade de "estratégia a médio e longo prazo"
Notícias ao Minuto

18:55 - 15/12/17 por Lusa

País Presidente

"Neste momento, o que importa é precisamente apostar na estratégia de médio e longo prazo, com o rumo certo e firme, sabendo que, em alguns pontos sensíveis, há diversidades de pensamento e que essas diversidades não coincidem necessariamente com nenhum dos dois hemisférios políticos existentes no nosso país, o que torna mais complexo o equacionar desse médio e longo prazo", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em Braga, na Universidade do Minho, durante a apresentação de um estudo sobre a economia portuguesa.

Num discurso marcado pelo retrato positivo do momento económico que Portugal e a Europa atravessam, o chefe de Estado deixou avisos ao sistema político nacional para que não seja um entrave ao desenvolvimento de uma estratégia a médio e longo prazo.

"Importa [para desenvolver uma estratégia a médio e longo prazo] considerar a demografia, a educação, a qualificação, a ligação entre a qualificação e a atividade empresarial, a estruturação administrativa e a aptidão do sistema político para criar consensos e suscitar alternativas".

Por isso, alertou, "um sistema político bloqueado porque é incapaz de criar consensos e ao mesmo tempo insuscetível de gerar alternativas, naturalmente não facilita uma estratégia a médio prazo".

Com a palavra "consenso" a repetir-se ao longo do discurso, para o quase jubilado professor universitário, como o próprio lembrou, a definição e persecução da estratégia necessária para Portugal "tem que ir para além de uma legislatura e não pode estar dependente das soluções governativas conjunturais".

"Quando se diz que é óbvio que o caminho é um determinado, é óbvio para um dos hemisférios ou uma parte dele da nossa realidade política e para uma parte do outro hemisfério", referiu.

"Não quer dizer que seja óbvio para os consensos que devem corresponder à situação vivida numa determinada conjuntura", alertou.

Marcelo Rebelo de Sousa deixou ainda avisos sobre a necessidade de não ceder ao "facilitismo" e à "resistência de satisfazer surtos sociais e inorgânicos e solicitações inexequíveis", salientando características da economia nacional.

"Um dos encantos, mas também dos problemas da economia portuguesa é a sua dimensão e a sua abertura, tudo o que corra bem, nomeadamente apoiado por fora, cria processos cumulativos virtuosos, mas é fácil inverter os processos cumulativos virtuosos por um facilitismo, uma ilusão, uma precipitação dita momentânea ou pontual", preveniu o chefe de Estado.

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.