Metro de Lisboa 'reserva' lugares contra o tráfico de pessoas

O Metro de Lisboa tem hoje lugares vazios reservados que representam o lugar de alguém que desapareceu, naquela que é uma campanha contra o tráfico de seres humanos, revelou a Câmara Municipal, parceira da iniciativa.

País Iniciativa

Metro de Lisboa 'reserva' lugares contra o tráfico de seres humanos - Estima-se que existam cerca de 1.400 vítimas de Tráfico de Seres Humanos em Portugal © YouTube/APF - Associação para o Planeamento da Família

Metro de Lisboa 'reserva' lugares contra o tráfico de seres humanos - Estima-se que existam cerca de 1.400 vítimas de Tráfico de Seres Humanos em Portugal © YouTube/APF - Associação para o Planeamento da Família

1 / 2
Metro de Lisboa 'reserva' lugares contra o tráfico de seres humanos
© YouTube/APF - Associação para o Planeamento da Família

Para assinalar o Dia Europeu de Combate ao Tráfico de Seres Humanos, que hoje se comemora, a autarquia lisboeta, a Associação para o Planeamento da Família (APF) e o Metro juntaram-se numa campanha para sensibilizar a sociedade para um flagelo que "só em Portugal atingirá 1.400 pessoas", segundo um comunicado da Câmara.

PUB

"As mulheres e as crianças continuam a ser os grupos mais vulneráveis ao tráfico humano, que afeta 2,4 milhões de pessoas em todo o mundo por ano", indicam aquelas entidades.

A campanha, que se enquadra no I Plano Municipal para a Integração Imigrante de Lisboa, para o biénio 2015-17, pretende "despertar a população em geral para este fenómeno que é, muitas vezes, invisível".

No ano passado, a APF, que tem estado ativamente envolvida em diferentes projetos ligados ao Tráfico de Seres Humanos, interveio em mais de uma centena de processos de sinalização.

A associação gere também em Portugal uma casa onde apoia mulheres vítimas deste tipo de tráfico.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser